Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ocidente se move 'em direção à guerra' no espaço, alerta chefe da Roscosmos

© Sputnik / Aleksei KudenkoLançamento do foguete Soyuz-FG com a espaçonave Soyuz MS-13 do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão
Lançamento do foguete Soyuz-FG com a espaçonave Soyuz MS-13 do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão - Sputnik Brasil, 1920, 18.06.2022
Nos siga noTelegram
Dmitry Rogozin, chefe da agência espacial estatal russa Roscosmos, fez um alerta neste sábado (18) sobre os riscos das atividades de algumas empresas espaciais privadas dos EUA.
Em entrevista publicada pela emissora RT, Rogozin afirmou que empresas privadas norte-americanas estão coletando dados visuais e de radar para as forças ucranianas.
Segundo ele, o Ocidente assumiu atividades que indicam que está "a caminho da guerra". Para ele, a suposta coleta de dados para a Ucrânia por empresas ocidentais privadas comprova essa tese.
Rogozin nomeou as empresas - Lockheed Martin, Starlink, Boeing, SpaceX - que, segundo ele, têm "um objetivo específico: garantir a coleta de informações em tempo real, tanto visuais, por meio de dispositivos de radar infravermelho, e através da vigilância convencional".
Foguete Soyuz 2.1a no Cosmódromo Vostochny, na Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 30.05.2022
Panorama internacional
Roscosmos define data da nova missão lunar da Rússia
Ele disse que os dados "estão sendo coletados para que as forças ucranianas possam usá-los “ para orientação de mísseis balísticos ou operação de sistema de lançamento múltiplo de foguetes".
Embora os satélites russos sejam capazes de monitorar o território ucraniano, como comentou Rogozin, "as empresas espaciais privadas americanas são, "na melhor das hipóteses, contratantes confiáveis ​​do Pentágono".
As observações de Rogozin vieram logo depois que o chefe do Comando Cibernético dos EUA, o general Paul Nakasone, admitiu pela primeira vez, no dia 1º de julho, que os EUA estavam apoiando a Ucrânia com operações de hackers.
"Conduzimos uma série de operações em todo o espectro: operações ofensivas, defensivas e de informação", disse ele à Sky News. Nakasone não forneceu detalhes sobre essas atividades.
Bandeiras países BRICS - Sputnik Brasil, 1920, 11.04.2022
Panorama internacional
Roscosmos designa países do BRICS como parceiros 'naturais' da Rússia no domínio do espaço
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала