Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

China responde às acusações dos EUA de estar 'do lado errado da história'

© AP Photo / Mark SchiefelbeinPorta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, durante briefing diário em Pequim, 24 de julho de 2020
Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, durante briefing diário em Pequim, 24 de julho de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 17.06.2022
Nos siga noTelegram
Pequim, ao contrário dos EUA, quer que a paz seja alcançada na Ucrânia, e cabe ao povo decidir quem está do "lado certo da história", disse nesta quinta-feira (16) Wang Wenbin, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, respondendo às críticas de Washington sobre a posição chinesa no conflito.
A China tem sido duramente criticada pelos EUA por sua recusa em condenar a operação militar russa na Ucrânia, bem como pela sua cooperação com Moscou.
Na quarta-feira (15), um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA acusou Pequim de "ainda estar com a Rússia […] fazendo eco da sua propaganda", acrescentando que "as nações que estão do lado de Vladimir Putin inevitavelmente ficarão do lado errado da história".
"Sobre a questão da Ucrânia, a China sempre avaliou de forma independente a situação, com base no contexto histórico e nos méritos da questão. Estamos sempre do lado da paz e da justiça" disse Wang Wenbin.
Ele comparou as políticas externas da China com as dos EUA, e seus resultados não favorecem Washington.
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e seu homologo chinês, Xi Jinping, durante coletiva de imprensa de participantes da mesa redonda Um Cinturão e Uma Rota na China, 15 de maio de 2017 - Sputnik Brasil, 1920, 15.06.2022
Panorama internacional
Em ligação com Putin, Xi oferece apoio da China à Rússia em questões de 'segurança e soberania'
O diplomata chinês disse que, enquanto os EUA têm promovido a expansão da OTAN para leste trazendo o conflito para a Europa, a China está empenhada no diálogo e na cooperação.
"Enquanto os EUA clamavam por uma luta 'até o último ucraniano' e alimentaram o conflito, a China tem promovido ativamente as negociações de paz e apelado ao mundo para a realização de negociações e não para a continuação dos combates entre a Rússia e a Ucrânia", defendeu o porta-voz da chancelaria chinesa.
Enquanto os EUA se precipitaram com sanções e pressão, Pequim tem se oposto firmemente às tentativas de politizar a economia mundial, ressaltou Wenbin.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала