Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Apelos da Itália e Hungria podem aliviar sanções contra Rússia, diz Reuters

© AP Photo / Michel EulerDe esquerda para a direita: a premiê da Suécia, Magdalena Andersson, o premiê da Hungria, Viktor Orbán, o premiê da Dinamarca, Mark Rutte, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, o premiê da Itália, Mario Draghi, o premiê de Luxemburgo, Xavier Bettel, e o premiê da Dinamarca, Mette Frederiksen, durante cúpula da UE em Paris, 10 de março de 2022
De esquerda para a direita: a premiê da Suécia, Magdalena Andersson, o premiê da Hungria, Viktor Orbán, o premiê da Dinamarca, Mark Rutte, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, o premiê da Itália, Mario Draghi, o premiê de Luxemburgo, Xavier Bettel, e o premiê da Dinamarca, Mette Frederiksen, durante cúpula da UE em Paris, 10 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 14.06.2022
Nos siga noTelegram
A Itália e a Hungria solicitam a resolução da crise ucraniana o mais rápido possível, o que pode levar à atenuação das sanções antirrussas, escreve a agência Reuters.
Conforme diplomatas e funcionários contaram sob anonimato à agência, os países-membros da União Europeia defenderam diferentes opiniões quanto às futuras ações em relação a Moscou devido às consequências negativas das restrições para suas economias.

"Já que os governos dos países ocidentais estão enfrentando inflação e preços altos dos combustíveis, tais Estados como Itália e Hungria chamam para o cessar-fogo mais rápido. Isso pode levar à atenuação das sanções [contra a Rússia]", escreve a Reuters.

Enquanto isso, a Polônia e os Países Bálticos defendem a continuação dos combates.

"As discórdias podem ficar ainda mais claras, pois as sanções e combates afetam a economia mundial, arriscando causar o descontentamento na arena doméstica desses países", diz o artigo.

Fontes do gabinete alemão expressam receios de que a posição de certos políticos ocidentais que "incitam" a Ucrânia a objetivos militares irrealistas possa arrastrar o conflito.
Ministros das Relações Exteriores de todos os países-membros do G7 caminham com Josep Borrell, chefe das relações exteriores da União Europeia, em encontro no dia 12 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 13.06.2022
Panorama internacional
G7 está trabalhando na elaboração de mais sanções contra a Rússia devido a conflito na Ucrânia
O Ocidente endureceu a pressão sancionatória a Moscou após o início da operação militar na Ucrânia. Diversos países anunciaram o congelamento dos ativos russos e muitas empresas abandonaram o país. A União Europeia já aprovou seis pacotes de sanções que incluem, particularmente, o embargo contra a importação do carvão e petróleo russos.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала