Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ministro da Defesa ucraniano admite envio de soldados inexperientes para linha de frente

© AP Photo / Michael ProbstMinistro da Defesa da Ucrânia, Aleksei Reznikov, durante reunião na Alemanha, 26 de abril de 2022
Ministro da Defesa da Ucrânia, Aleksei Reznikov, durante reunião na Alemanha, 26 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 13.06.2022
Nos siga noTelegram
O ministro da Defesa da Ucrânia, Aleksei Reznikov, admitiu, em entrevista à revista britânica The Economist, que o país está enviando soldados jovens e inexperientes para a linha de frente.
Conforme escreve o veículo, os soldados que voltam da frente relatam sobre o caos no comando. O The Economist nota ainda que combatentes jovens e inexperientes das unidades voluntárias estão sendo enviados para a linha de frente a fim de substituir os soldados falecidos.

"Como poderia ser de outra maneira? Os jovens acabam na linha de frente, onde ninguém quer que eles estejam, e eles morrem. O mundo precisa saber disso", constatou Reznikov.

O ministro ucraniano afirmou também que a "burocracia e o pragmatismo do Ocidente acabaram sendo mais fortes do que seus valores".
Recentemente, o chefe da pasta relatou que a situação na frente é difícil: as tropas ucranianas perdem diariamente cerca de 100 homens. Por sua vez, o assessor do presidente Vladimir Zelensky, Mikhail Podolyak, divulgou o número das baixas diárias das tropas ucranianas, que seriam duas vezes maiores do que foi declarado por Reznikov.
Consequências do bombardeio no centro de Donetsk pelas forças da Ucrânia, 6 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 08.06.2022
Panorama internacional
MD russo: forças ucranianas em Donbass sofrem baixas significativas nas tropas, armas e equipamento
A Rússia começou a operação especial na Ucrânia em 24 de fevereiro, por ordem do presidente Vladimir Putin. O mandatário designou como o objetivo principal a proteção das populações "que foram sujeitas a abusos e genocídio pelo regime de Kiev por oito anos".
Segundo declarou o Ministério da Defesa russo, as Forças Armadas do país atingem exclusivamente alvos da infraestrutura militar e tropas ucranianas, e, até 25 de março, alcançaram os objetivos principais da primeira etapa da operação: reduzir significativamente o potencial de combate da Ucrânia.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала