Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Austrália pagará indenização de R$ 2,9 bilhões após decisão de adquirir submarinos nucleares

© AP PhotoSubmarino Scorpène construído pela companhia Naval Group da França
Submarino Scorpène construído pela companhia Naval Group da França - Sputnik Brasil, 1920, 12.06.2022
Nos siga noTelegram
A Austrália anunciou um acordo de compensação milionário com o fabricante francês de submarinos Naval Group.
O primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, confirmou a assinatura do acordo e afirmou que a empresa francesa aceitou um pagamento "justo e equitativo" de R$ 2,9 bilhões pela ruptura do contrato de R$ 293,8 bilhões no ano de 2021.
A decisão coloca um ponto final ao conflito que desestabilizou as relações diplomáticas entre Canberra e Paris durante um ano, escreve o portal da Rádio França Internacional.
A crise teve início quando a Austrália decidiu adquirir, no ano passado, em meio às crescentes disputas com Pequim, submarinos americanos ou britânicos de propulsão nuclear, desrespeitando o compromisso negociado durante cerca de dez anos com a França.
Em setembro de 2021, o então primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, rompeu repentinamente um contrato negociado há anos com o Naval Group para produzir doze submarinos movidos a diesel e eletricidade.
Submarino nuclear USS Albany (SSN-753) (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 06.04.2022
Panorama internacional
Submarino nuclear dos EUA aparece inesperadamente em porto da Noruega
A decisão teve forte repercussão até mesmo na alta cúpula do governo da França. A quebra do contrato chegou a irritar o presidente francês, Emmanuel Macron, que acusou Morrison de mentir.
Na época, Canberra justificou a aquisição de submarinos britânicos ou americanos de propulsão nuclear apontando para a escassa capacidade atômica da Austrália.
Em crescente disputas com a China na região do pacífico, a Austrália busca melhorar suas capacidades militares, e os submarinos nucleares são fundamentais.
Com os navios de propulsão nuclear fornecidos por Estados Unidos ou o Reino Unido, a Austrália poderá operar com mais sigilo e terá uma capacidade dissuasão muito maior frente a Pequim.
O mar do Sul da China - Sputnik Brasil, 1920, 07.06.2022
Panorama internacional
Pequim adverte Austrália para cessar provocações militares no mar do Sul da China
Embora a implementação não seja rápida e os primeiros submarinos levarão décadas para se tornarem operacionais, Canberra conta com a ajuda dos governos britânico e norte-americano na Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).
Desde o ano passado, Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, conhecidos pelo pacto trilateral AUKUS, iniciaram planos junto à agência internacional para que a Austrália possa adquirir submarinos nucleares, assim como combustível atômico.
O Brasil, de acordo com a Reuters, também está nesta "fila". O país busca ser o primeiro país a submeter à AIEA um modelo de salvaguardas tecnológicas (o mecanismo de proteção e de vistoria de componentes sensíveis) voltado a um submarino movido a combustível nuclear e com armas convencionais, como torpedos de alta precisão, minas e mísseis SM 39 Exocet.
Submarinos movidos a energia nuclear, que podem permanecer submersos e no mar por muito mais tempo do que outros submarinos, representam um desafio de proliferação atômica particular porque operam fora do alcance dos inspetores da AIEA.
Submarino de classe Scorpène S40 Riachuelo, o primeiro do Prosub (Programa de Desenvolvimento de Submarinos) a ser lançado ao mar, em 2018 - Sputnik Brasil, 1920, 06.06.2022
Notícias do Brasil
Brasil abre diálogo com agência internacional sobre combustível para submarino nuclear
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала