Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Inteligência da Ucrânia afirma que país quase esgotou munição de artilharia, relata The Guardian

© Sputnik / Ministério da Defesa da RússiaProjéteis de 152 mm para obuseiros Msta-S na Ucrânia
Projéteis de 152 mm para obuseiros Msta-S na Ucrânia - Sputnik Brasil, 1920, 10.06.2022
Nos siga noTelegram
A Ucrânia está ficando pouco a pouco sem munições de artilharia, aponta o vice-chefe da inteligência militar ucraniana, Vadim Skibitsky, ao The Guardian.
O vice-chefe da Diretoria Geral da Inteligência do Ministério da Defesa ressaltou que "esta é uma guerra de artilharia agora" e a Ucrânia está "perdendo em termos de artilharia".

Segundo seus dados, o Exército ucraniano "tem uma peça de artilharia contra dez ou 15 peças de artilharia russa. Nossos parceiros ocidentais deram-nos cerca de 10% do que eles têm", disse.

Vadim Skibitsky estimou que a Ucrânia gasta atualmente entre 5.000 e 6.000 rodadas de artilharia por dia.

"Nós quase esgotamos nossas munições [de artilharia] e agora estamos usando projéteis do padrão da OTAN, de calibre 155 mm", apontou.

Artilharia russa - Sputnik Brasil, 1920, 09.06.2022
Forças russas superam Exército ucraniano em 20 vezes em artilharia e 40 vezes em munições, diz mídia
Sobre a ofensiva russa, Skibitsky opinou que Moscou poderia continuar em ritmo atual durante um ano sem fabricar mais armas nem decretar a mobilização.

"Se eles tiverem êxito em Donbass, poderiam usar esses territórios para lançar outro ataque contra Odessa, Zaporozhie e Dniepre", comentou Skibitsky sobre as maiores cidades sob controle da Ucrânia que estão em proximidade às áreas controladas pela Rússia.

A Rússia continua desde 24 de fevereiro a operação militar especial em Donbass alegando que as Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, previamente reconhecidas por Moscou como Estados soberanos, necessitam de ajuda diante do "genocídio" por parte de Kiev. Ao ordenar a operação, o presidente Vladimir Putin indicou como uma das principais metas "a desmilitarização e desnazificação" da Ucrânia.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала