Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Reino Unido condena decisão do Supremo Tribunal da RPD: 'Julgamento simulado e sem legitimidade'

© AP Photo / Mídia AssociadaA secretária de Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Liz Truss, fala durante uma entrevista coletiva conjunta em Vilnius, Lituânia, 3 de março de 2022
A secretária de Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Liz Truss, fala durante uma entrevista coletiva conjunta em Vilnius, Lituânia, 3 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 09.06.2022
Nos siga noTelegram
Londres, através de sua secretária de Relações Exteriores, disse que a decisão do Supremo da RPD não tem "absolutamente nenhuma legitimidade".
No início do dia de hoje (9), o Supremo Tribunal da República Popular de Donetsk (RPD) condenou à morte dois cidadãos do Reino Unido, Shaun Pinner e Aiden Aslin, e o cidadão marroquino Saadoun Brahim, que combateram ao lado de militantes ucranianos, conforme noticiado.
Após o anúncio do Supremo, a chefe da diplomacia britânica, Liz Truss, condenou através de uma postagem em seu Twitter a decisão e disse que a medida "é simulada".
Condeno totalmente a condenação de Aiden Aslin e Shaun Pinner detidos por procuradores russos no leste da Ucrânia. São prisioneiros de guerra. Este é um julgamento simulado sem absolutamente nenhuma legitimidade. Meus pensamentos estão com as famílias. Continuamos a fazer tudo o que podemos para apoiá-los.

Citando Downing Street, a agência britânica PA informou que o governo do Reino Unido está "profundamente preocupado" após as sentenças de morte que foram entregues aos britânicos.
Os mercenários norte-americanos - Sputnik Brasil, 1920, 08.06.2022
Panorama internacional
EUA e Reino Unido recrutam mercenários para Ucrânia, diz MRE russo
As Nações Unidas, através do porta-voz Stephane Dujarric, também condenaram a decisão do Supremo.
"Nós somos contra a pena de morte, pedimos que todos os atrasados ​​sejam tratados de acordo com a convenção de Genebra", disse o porta-voz em um briefing.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала