Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Premiê de Israel exorta AIEA a atrasar programa nuclear iraniano, senão Irã 'pagará preço alto'

© AFP 2022 / Gil Cohen-MagenPrimeiro-ministro israelense Naftali Bennett fala durante a reunião semanal do gabinete em Jerusalém, em 29 de maio de 2022
Primeiro-ministro israelense Naftali Bennett fala durante a reunião semanal do gabinete em Jerusalém, em 29 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 07.06.2022
Nos siga noTelegram
Enquanto o Conselho de Governadores da Agência Internacional de Energia Atômica se reúne em Viena, o primeiro-ministro de Israel exortou a entidade a frear o programa nuclear do Irã, ao discursar na terça-feira (7) ante o comitê parlamentar.

"Esperamos que o Conselho de Governadores da AIEA coloque ante o regime de Teerã um aviso nítido e deixe claro que, se continuar sua desafiante política nuclear, pagará um preço alto", afirmou Naftali Bennett, citado pelo The Times of Israel.

O premiê também reiterou que Israel reserva por si a liberdade de ação contra o programa nuclear iraniano, seja com o acordo seja sem ele.

"Os dias de imunidade, em que o Irã continua atacando Israel e espalhando o terror através de seus satélites regionais, mas permanece ileso: esses dias acabaram. Nós agimos em qualquer tempo e em qualquer lugar, e continuaremos fazendo isso", acrescentou Bennett.

Na semana passada, o primeiro-ministro israelense apresentou os documentos que trataram da suposta mentira do Irã à AIEA e das alegadas tentativas de Teerã de esconder a situação real em seu programa nuclear. Espera-se que o Conselho de Governadores da AIEA venha a considerar um projeto de resolução relacionado à essa questão e ao caráter da futura cooperação do Irã com a agência.
O presidente do Irã, Ebrahim Raisi, concede coletiva de imprensa em Teerã, 21 de junho de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 06.06.2022
Panorama internacional
Acordo nuclear: Rússia não apoiará resolução na AIEA contra o Irã, diz representante russo
Em 2015, Reino Unido, Alemanha, China, Rússia, EUA, França e Irã assinaram o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), que previu o cancelamento das sanções anti-iranianas em troca das restrições do programa nuclear do Irã. Em 2018, o então presidente americano, Donald Trump, saiu unilateralmente do JCPOA e reimpôs sanções contra Teerã. Em resposta, o Irã recusou as restrições no âmbito de pesquisas nucleares, abertura de centrífugas e nível de enriquecimento de urânio.
Em 27 de dezembro de 2021, iniciou a oitava rodada das negociações sobre a restauração do JCPOA, em Viena. No entanto, no fim de março, as negociações foram suspensas. A chancelaria iraniana acusa disso a administração americana.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала