Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

'É difícil manter a unidade': premiê da Estônia diz que sanções contra Rússia ferem países da UE

© Foto / Pixabay / MediamodifierBandeira rachada da União Europeia
Bandeira rachada da União Europeia - Sputnik Brasil, 1920, 07.06.2022
Nos siga noTelegram
Está a tornar-se mais difícil alcançar a unidade dos países da União Europeia (UE) no que se refere à operação especial russa na Ucrânia devido às consequências das sanções contra Moscou, disse a primeira-ministra da Estônia Kaja Kallas durante uma reunião com premiê britânico Boris Johnson.
De acordo com Daily Express, a ministra estoniana observou que as decisões de Bruxelas relativamente às novas medidas restritivas estão se tornando cada vez mais difíceis de tomar, principalmente devido à inflação e ao aumento dos preços de fontes de energia na UE.
"Estamos em um ponto em que as sanções começam a ferir o nosso lado. No início as sanções eram difíceis apenas para a Rússia, mas agora estamos chegando a um ponto em que as sanções são dolorosas para os nossos próprios países, e agora a questão é quanta dor estamos dispostos a suportar", disse Kallas.
A situação "é diferente para países diferentes. É muito difícil manter a unidade. Está ficando cada vez mais difícil por causa da alta inflação e dos preços da energia", acrescentou a ministra da Estônia.
A inflação média da zona do euro foi de 8,1% em maio. No Reino Unido a taxa se mantém nos 9%.
Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, fala em briefing em Pequim, China, 8 de abril de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 06.06.2022
Panorama internacional
China diz que Europa e mundo 'pagarão caro' pelo novo pacote de sanções contra a Rússia
A Estônia, no entanto, registrou o valor mais elevado no bloco continental com 20%. Em meados de maio, o primeiro-ministro da Hungria Viktor Orban afirmou que as sanções contra Moscou são eficazes apenas no papel.
Orban considera que a crise energética e o aumento das taxas de juros conduzirão a uma era de recessão na Europa. Segundo ele, o conflito na Ucrânia e a política de sanções da União Europeia (UE) contra a Rússia provocaram a crise energética.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала