Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

China insta Estados-membros da AIEA a debaterem papel do AUKUS na proliferação nuclear

© AP PhotoZhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, fala durante briefing de imprensa em 10 de março de 2022, Pequim, China
Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, fala durante briefing de imprensa em 10 de março de 2022, Pequim, China - Sputnik Brasil, 1920, 07.06.2022
Nos siga noTelegram
Pequim exortou a Agência Internacional de Energia Atômica a examinar os riscos que poderiam ser causados pelo pacto de fornecimento de submarinos nucleares AUKUS, integrado pela Austrália, EUA e Reino Unido.
A China desafiou os Estados-membros da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) a participarem de consultas sobre o bloco AUKUS, instou na terça-feira (6) Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês.
"A China chama todos os países-membros da AIEA a apoiarem e participarem ativamente das discussões organizadas pelo órgão sobre a cooperação em três países em submarinos atômicos, defender conjuntamente o regime internacional de não proliferação de armas nucleares baseado no Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares [TNP], e proteger a paz e a segurança internacionais", disse o porta-voz.
Ele acrescentou que a diretoria da AIEA concordou por iniciativa da China em examinar a entrega de materiais nucleares no âmbito desta cooperação, além das respectivas garantias e monitoramento em conformidade com o TNP.
Submarino de classe Scorpène S40 Riachuelo, o primeiro do Prosub (Programa de Desenvolvimento de Submarinos) a ser lançado ao mar, em 2018 - Sputnik Brasil, 1920, 06.06.2022
Notícias do Brasil
Brasil abre diálogo com agência internacional sobre combustível para submarino nuclear
"Isto reflete plenamente a alta atenção e preocupação da comunidade internacional em relação à entrega de materiais nucleares como armas no âmbito da cooperação entre os EUA, Reino Unido e Austrália", segundo Lijian.
Para o porta-voz da chancelaria chinesa, a cooperação nesta área cria "sérios riscos na área da não proliferação de armas nucleares, estimula a corrida armamentista e mina a paz e a estabilidade regionais".
Na segunda-feira (6) Rafael Grossi, diretor-geral da AIEA, revelou que planeja apresentar em setembro um relatório sobre os resultados do trabalho no projeto AUKUS, e expressou satisfação com "a transparência e a participação demonstradas pelos três países até o momento".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала