Militares taiwaneses recebem primeiro conjunto de drones de curto alcance fabricados localmente

© AFP 2022 / SAM YEHUm veículo aéreo não tripulado (UAV, na sigla em inglês) Rui Yuan de fabricação nativa é visto em exibição durante um exercício militar na Base Aérea de Pingtung, no sul de Taiwan, 24 de janeiro de 2019
Um veículo aéreo não tripulado (UAV, na sigla em inglês) Rui Yuan de fabricação nativa é visto em exibição durante um exercício militar na Base Aérea de Pingtung, no sul de Taiwan, 24 de janeiro de 2019 - Sputnik Brasil, 1920, 06.06.2022
Nos siga noTelegram
Primeiros 14 dos 50 drones de curto alcance, a serem entregues ainda este ano, vão integrar a formação de drones de reconhecimento e resposta em batalha, diz o Ministério da Defesa da ilha.
O Exército de Taiwan vai receber seus primeiros drones militares fabricados no país dentro de meses, disse o Ministério da Defesa da ilha.
De acordo com o South China Morning Post, a entrega vem no momento em que as Forças Armadas de Taiwan buscam aumentar as capacidades de reconhecimento e resposta em batalha diante das crescentes ameaças de Pequim, que considera a ilha autônoma um território separatista.
O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Chung-Shan, principal fabricante de armas de Taiwan, deve entregar 14 conjuntos de veículos aéreos não tripulados (UAV, na sigla em inglês) táticos de curto alcance ainda no final deste ano.
"Os UAVs com os sistemas de rotor são necessários para reforçar eficazmente as capacidades de vigilância e reconhecimento dos batalhões de armas combinadas e permitir que eles tenham um alerta antecipado adequado para combater as operações inimigas", observou o relatório do ministério.
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, em coletiva de imprensa no escritório do Ministério das Relações Exteriores, Pequim, 6 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 04.06.2022
Panorama internacional
Pequim pede a Washington que pare de aprofundar laços com Taiwan e alerta para 'situação perigosa'
O ministério alocou um orçamento de US$ 26,5 milhões (cerca de R$ 126,5 milhões) destinado à compra de 50 conjuntos de drones para seus 23 batalhões de armas combinadas, formados em setembro de 2019 com foco no combate a possíveis ataques anfíbios e de aviões de guerra do Exército de Libertação Popular (ELP) chinês.
Ainda segundo o ministério, espera-se que os 36 conjuntos restantes sejam entregues em 2023, permitindo que os batalhões formem sua própria frota de drones.
Cada batalhão será equipado com uma divisão de UAV de quatro pessoas, e o Instituto Chung-Shan terá a tarefa de ajudar a treinar operadores de drones para essa função.
Com o aumento das tensões polarizadas entre EUA e China no Pacífico, o ELP tem intensificado os exercícios militares na região nos últimos meses, batendo um recorde de missões de caças dentro da zona de defesa aérea de Taiwan.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала