Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Cisão na UE sobre Ucrânia aumenta após posicionamento de Itália e Hungria

© Foto / Pixabay / MediamodifierBandeira rachada da União Europeia (foto de arquivo)
Bandeira rachada da União Europeia (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 25.05.2022
Nos siga noTelegram
Itália e Hungria instaram a União Europeia (UE) a pedir explicitamente um cessar-fogo na Ucrânia e negociações de paz com a Rússia, colocando-se em desacordo com outros Estados-membros.
As divisões na União Europeia na esteira da crise ucraniana estão cada mais vez maiores à medida que falta consenso ao bloco.
Segundo publicação da Reuters, alguns países estão determinados a adotar uma linha dura com Moscou antes da cúpula do bloco que será realizada na próxima semana, enquanto Itália e Hungria pedem alterações na declaração conjunta que será feita durante o encontro.
Um esboço do documento para a cúpula de 30 e 31 de maio, visto pela Reuters e datado de 19 de maio, descreve a UE como "inabalável em seu compromisso de ajudar a Ucrânia a exercer seu direito inerente de autodefesa contra a agressão russa".
O texto não menciona negociações de paz. O embaixador da Itália propôs mudanças, dizendo que o documento deveria se referir a negociações de paz e estabelecer um cessar-fogo imediato.
Essa proposta foi apoiada pela Hungria e Chipre. A Hungria se opõe a um embargo ao petróleo planejado, enquanto o Chipre se preocupa com uma proposta de proibição de venda de propriedades para cidadãos russos.
Kremlin (no plano de frente) e Ministério das Relações Exteriores russo (à direita, no plano traseiro) em Moscou, Rússia, foto publicada em 7 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 23.05.2022
Panorama internacional
Rússia não é a fonte de ameaças de fome mundial, culpem as sanções, diz Kremlin
O último rascunho das conclusões da cúpula diz que a UE "continua comprometida em reforçar a capacidade da Ucrânia de defender sua integridade e soberania territorial".
A Itália propôs na semana passada um plano de paz que envolveria as Nações Unidas, a UE e a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) como facilitadores para organizar um cessar-fogo.
Vale lembrar que, nesta quarta-feira (25), o vice-chanceler russo, Andrei Rudenko, comentou as declarações do chefe de gabinete do presidente ucraniano, Andrei Yermak, sobre a possibilidade de criar um grupo consultivo para elaborar garantias de segurança.
A Rússia duvida da sinceridade do desejo ucraniano de encontrar uma solução pacífica para a situação atual, apontou Rudenko. Recentemente o presidente Vladimir Zelensky declarou que é possível continuar as negociações com Moscou, mas apenas sob a condição da retirada das tropas russas da Ucrânia.
O Comissário Europeu da Justiça, Didier Reynders, dá uma conferência de imprensa conjunta com o Comissário Europeu do Mercado Interno sobre a Lei de Due Diligence de Sustentabilidade Corporativa na sede da UE em Bruxelas, em 23 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 25.05.2022
Panorama internacional
UE propõe tornar crime ação de qualquer país que tente quebrar ou contornar sanções contra a Rússia
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала