Pessoas usando máscaras de proteção caminham por rua em Paris, França, 27 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Sociedade e cotidiano
As principais notícias, reportagens e artigos sobre sociedade e a rotina cotidiana.

Vida antiga marciana é pouco provável, concluem cientistas após estudarem meteorito de Marte (FOTO)

© Foto / Pixabay / TheSpacewayMarte (imagem referencial)
Marte (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 20.05.2022
Nos siga noTelegram
Uma equipe internacional de cientistas estudou um meteorito de Marte e determinou ter tido uma limitada exposição à água.
A probabilidade de vida prosperar em Marte há milhões de anos não é particularmente alta, de acordo com cientistas, cujo estudo foi publicado na revista Science Advances.
A pesquisa envolveu uma equipe internacional de pesquisadores liderada pela Universidade de Lund, na Suécia, que usou tomografia de nêutrons e raios X para estudar um meteorito cuja idade é estimada em cerca de 1,3 bilhão de anos, e que se originou do Planeta Vermelho.
"Uma vez que a água é central para a questão de se alguma vez existiu vida em Marte, quisemos investigar quanto do meteorito reagiu com a água quando ainda fazia parte do leito de Marte", disse Josefin Martell, doutorando em geologia da Universidade de Lund.
Os esforços da equipe revelaram que a amostra que eles estavam estudando tinha exposição limitada à água, sugerindo assim que "provavelmente não havia um grande sistema hidrotérmico que deu origem à alteração".
© Foto / Josefin Martell / Universidade de Lund, SuéciaReprodução tridimensional de meteorito de Marte
Reprodução tridimensional de meteorito de Marte - Sputnik Brasil, 1920, 20.05.2022
Reprodução tridimensional de meteorito de Marte
"Uma explicação mais provável é que a reação ocorreu após pequenas acumulações de gelo subterrâneo derretido durante um impacto de meteorito há cerca de 630 milhões de anos", observou Martell.
"Claro, isso não significa que a vida não poderia ter existido em outros lugares em Marte, ou que não poderia ter existido vida em outras épocas", acrescentou ela.
Os pesquisadores esperam que os resultados da pesquisa sejam úteis em 2030, quando a agência espacial norte-americana NASA planeja transportar as primeiras amostras até a Terra, especialmente com as atuais tecnologias de nêutrons e da tomografia de raios X.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала