Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Putin: guerra cibernética foi desencadeada contra Rússia após operação especial, ataques aumentaram

© Sputnik / Mikhail MetselVladimir Putin, presidente da Rússia, durante reunião do Conselho de Segurança russo em 20 de maio de 2022
Vladimir Putin, presidente da Rússia, durante reunião do Conselho de Segurança russo em 20 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 20.05.2022
Nos siga noTelegram
Vladimir Putin assinalou o aumento de ciberataques contra a Rússia desde o começo da operação militar especial russa na Ucrânia.
Foi iniciada uma verdadeira guerra cibernética contra a Rússia após Moscou iniciar uma operação militar especial na Ucrânia, afirmou na sexta-feira (20) Vladimir Putin, presidente russo.

"O número de ciberataques contra a infraestrutura informática russa aumenta constantemente todos estes últimos anos. É mesmo em todos os últimos anos, mas com o começo da operação militar especial em Donbass, na Ucrânia, os desafios nesta área se tornaram ainda mais graves e sérios, mais amplos. Basicamente, contra a Rússia foi desencadeada uma verdadeira agressão, uma guerra no espaço informacional", disse Putin durante reunião do Conselho de Segurança da Rússia.

O presidente russo explicou que o número de ataques cibernéticos, incluindo os abrangentes, aumentou.
"Como apontam os especialistas e analistas, hackers solitários certamente não são capazes de fazer isso. Os ataques são lançados de diferentes Estados e são rigorosamente coordenados. Basicamente, trata-se de ações de estruturas estatais", descreveu ele, referindo que os exércitos de alguns países já incluem, oficialmente, forças cibernéticas.
O mandatário advertiu para a necessidade de reduzir os riscos associados ao uso de programas e equipamentos estrangeiros, sugerindo para isso continuar o processo de digitalização com meios nacionais, completar a mudança para atingir a soberania tecnológica até 2025 e aumentar a capacidade de defesa do espaço digital russo.
Efetivos das Forças Armadas ucranianas deslocam mísseis FIM-92 Stinger produzidos nos EUA, no Aeroporto Boryspil, Kiev, Ucrânia, 13 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 16.05.2022
Panorama internacional
Guerra por procuração do Ocidente não impedirá Rússia de concluir operação especial, diz diplomata
O alto responsável russo também avisou para a natureza dos desafios e ameaças à segurança cibernética da Rússia, que "está mudando de forma dinâmica, rápida", e que é preciso levar tudo isso em consideração.
O presidente da Rússia lembrou também que em 1º de maio ele assinou um decreto estabelecendo novos parâmetros e requisitos para esse trabalho.

"Já hoje podemos dizer que a agressão cibernética contra nós, assim como o sancionamento da Rússia em geral, fracassou. No geral, estávamos preparados para este ataque, e isto é o resultado do trabalho sistemático que tem sido realizado nos últimos anos", apontou Putin.

"Nossos especialistas têm se empenhado seriamente na proteção da infraestrutura de informação, em garantir o funcionamento estável e a segurança das redes e canais de comunicação, e, repito, foi possível fazer muito, incluindo a criação de nossas próprias tecnologias únicas", sublinhou Putin.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала