Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Jeff Bezos cita inflação recorde e critica Biden após Casa Branca defender taxação de bilionários

© Paul Ellis / Pool O bilionário e fundador da Amazon, Jeff Bezos, discursa durante a Conferência do Clima da ONU (COP26) em Glasgow, Escócia, 2 de novembro de 2021
O bilionário e fundador da Amazon, Jeff Bezos, discursa durante a Conferência do Clima da ONU (COP26) em Glasgow, Escócia, 2 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 16.05.2022
Nos siga noTelegram
Nesta segunda-feira (16), o bilionário e fundador da Amazon, Jeff Bezos, criticou a política econômica do governo do presidente norte-americano, Joe Biden, e citou a inflação recorde no país. A declaração foi uma resposta a críticas divulgadas pela Casa Branca contra Bezos.
O bilionário usou as redes sociais para emitir sua posição, mencionando a recente declaração da Casa Branca, que cita uma publicação anterior de Bezos. Na última sexta-feira (13), o fundador da Amazon criticou uma declaração de Biden que sugere o aumento da taxação de bilionários como possível meio para combater a inflação no país.
Olhe, um esquilo! Essa é a declaração da Casa Branca sobre minhas publicações recentes. Eles, compreensivelmente, querem ocultar o tópico. Eles sabem que a inflação prejudica os mais necessitados. Porém os sindicatos não estão causando inflação, nem os mais ricos. Lembre-se, a administração [Biden] fez... // o seu melhor para injetar US$ 3,5 trilhões [cerca de R$ 17,7 trilhões] em gastos federais. Eles falharam, mas se eles tivessem tido sucesso, a inflação estaria ainda mais alta hoje, e a inflação hoje está no maior nível em 40 anos.
© AFP 2022 / DREW ANGERERO presidente dos EUA, Joe Biden, ouve palestrantes durante evento sobre acesso à Internet de alta velocidade para americanos de baixa renda, no Rose Garden da Casa Branca, em Washington, 9 de maio de 2022
O presidente dos EUA, Joe Biden, ouve palestrantes durante um evento sobre acesso à Internet de alta velocidade para americanos de baixa renda, no Rose Garden da Casa Branca, em Washington, DC, 9 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 16.05.2022
O presidente dos EUA, Joe Biden, ouve palestrantes durante evento sobre acesso à Internet de alta velocidade para americanos de baixa renda, no Rose Garden da Casa Branca, em Washington, 9 de maio de 2022
A mensagem citada por Bezos é uma captura de tela de uma declaração do secretário de imprensa adjunto da Casa Branca, Andrew Bates, ao jornal The Washington Post, publicada mais cedo nesta segunda-feira (16).

"Não é necessário pensar muito para perceber por que um dos indivíduos mais ricos da Terra se opõe a uma agenda econômica para a classe média que corta alguns dos maiores gastos enfrentados pelas famílias, combate a inflação no longo prazo e se soma à histórica redução de déficit que o presidente está conseguindo ao pedir que os contribuintes mais ricos e as corporações paguem sua parte justa de impostos. Também não é de se surpreender que essa publicação venha após o presidente se encontrar com organizações trabalhistas, incluindo trabalhadores da Amazon", disse Bates ao jornal.

No domingo (15), Bezos afirmou que o senador democrata norte-americano Joe Manchin salvou a administração Biden de si mesma por frustrar a tentativa da Casa Branca de injetar mais estímulos financeiros na economia.
No fim do ano passado, Manchin barrou o plano econômico de Biden, Build Back Better (Reconstruir Melhor, em tradução livre), que originalmente previa investimentos de US$ 3,5 trilhões na economia norte-americana. Como o Senado dos EUA está dividido pela metade entre democratas e republicanos, é necessário consenso total entre os democratas para aprovar propostas.
Atualmente os EUA enfrentam um aumento recorde na inflação, com a taxa chegando a 8,3%, conforme dados do site Trading Economics. O índice é o maior em 40 anos e é influenciado pelo aumento dos preços de combustíveis e alimentos.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала