Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Coreia do Sul se torna 1º país asiático a integrar grupo de ciberdefesa da OTAN

© AP Photo / Yves LoggheUm especialista em informática opera no centro técnico de Capacidade de Resposta a Incidentes de Computador da OTAN (NCIRC, na sigla em inglês), na sede militar SHAPE da OTAN, em Mons, sudoeste da Bélgica, 10 de dezembro de 2013
Um especialista em informática opera no centro técnico de Capacidade de Resposta a Incidentes de Computador da OTAN (NCIRC, na sigla em inglês), na sede militar SHAPE da OTAN, em Mons, sudoeste da Bélgica, 10 de dezembro de 2013 - Sputnik Brasil, 1920, 05.05.2022
Nos siga noTelegram
Primeiro Estado asiático admitido no Centro Cooperativo de Excelência em Ciberdefesa do bloco militar comandado pelos EUA, Seul pretende expandir defesas com foco em tecnologia.
Nesta quinta-feira (5), a Coreia do Sul se tornou o primeiro Estado-membro asiático do Centro Cooperativo de Excelência em Ciberdefesa da OTAN (CCDCOE, na sigla em inglês), informou a agência de notícias Yonhap.
Em comunicado citado pela mídia, o Serviço Nacional de Inteligência de Seul (NIS, na sigla em inglês) disse que planeja "fortalecer nossas capacidades de resposta cibernética a um nível de classe mundial, aumentando o número de nossa equipe enviada ao centro e expandindo o escopo do treinamento conjunto."
A adesão da Coreia do Sul ao CCDCOE elevou o número de membros para 32, sendo 27 as nações patrocinadoras da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). A Coreia e os outros quatro membros de fora do bloco liderado pelos EUA são participantes contribuintes.
De acordo com o NIS, Seul se candidatou ao CCDCOE em 2019 e tem participado das atividades do centro desde então – incluindo dos jogos de guerra de defesa cibernética Locked Shields – por dois anos consecutivos desde 2020.
Nesta foto de arquivo de 27 de fevereiro de 2019, uma mulher segura as bandeiras dos EUA e da Coreia do Norte enquanto caminha em Hanói, no Vietnã - Sputnik Brasil, 1920, 04.05.2022
Panorama internacional
MRE russo: EUA querem pressionar Coreia do Norte a mudar sua política, mas o jeito não funcionará
Comentando sobre sua admissão no grupo, a agência de inteligência da Coreia do Sul observou que "as ameaças cibernéticas estão causando grandes danos não apenas a indivíduos, mas também a determinadas nações e ainda transnacionalmente", o que torna crucial uma "cooperação internacional estreita".
Com sede na capital da Estônia, Tallinn, o CCDCOE foi fundado em 2008 em resposta a um ataque cibernético maciço de 2007 às redes estatais da Estônia – algo que as autoridades do país rapidamente culparam a Rússia. Autoridades em Tallinn, no entanto, admitiram mais tarde que não tinham provas conclusivas para implicar o Kremlin.
Em seu site, o CCDCOE diz que sua missão é "apoiar nossos países-membros e a OTAN com experiência interdisciplinar única no campo de pesquisa, treinamento e exercícios de defesa cibernética cobrindo as áreas de foco de tecnologia, estratégia, operações e direito". O grupo está comprometido em "promover a cooperação de nações com ideias semelhantes", tanto "aliados da OTAN quanto parceiros além da aliança".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала