Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

China prepara seu Exército para 'ter capacidade de tomar Taiwan', diz chefe de Estado-Maior dos EUA

© AP Photo / Andrew HarnikGeneral Mark Milley
General Mark Milley - Sputnik Brasil, 1920, 04.05.2022
Nos siga noTelegram
Os EUA consideram que os dirigentes da China têm planejado preparar suas Forças Armadas para "tomar" Taiwan, declarou nesta terça-feira (3) o general Mark Milley, chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA.
Segundo afirmou o alto militar, o presidente chinês, Xi Jinping, "estabeleceu o objetivo de ter seus militares preparados quanto à capacidade, que não é o mesmo que dizer que vai invadir, mas sim de ter a capacidade de tomar a ilha de Taiwan".

Milley qualificou esse objetivo de "muito ambicioso" e sublinhou que "está por ver se os chineses serão capazes de cumpri-lo, se terão a capacidade ou não, mas esse é o objetivo fixado para 2027". "Temos que levar isso em consideração à medida que avançarmos no futuro", acrescentou.

Na semana passada, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, disse que Washington apoiará Taiwan "com todos os meios necessários para se defender de qualquer possível agressão, incluindo a ação unilateral da China para alterar o 'status quo' que está em vigor há muitas décadas".
Soldados taiwaneses fazem saudação durante celebrações do Dia Nacional em frente ao Edifício Presidencial em Taipé, Taiwan, 10 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 01.05.2022
Panorama internacional
FT: Washington e Londres fazem reunião secreta para usarem Taiwan contra Pequim
Além disso, o alto funcionário notou que o país norte-americano realizou ou facilitou vendas de armas no valor de quase US$ 20 bilhões (R$ 99,6 bilhões) e 2,5 bilhões (R$ 12,46 bilhões) em vendas comerciais diretas a Taipé desde 2017.
Por sua vez, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin, recordou que os funcionários norte-americanos "declararam em várias ocasiões que os EUA não apoiam a 'independência de Taiwan'", o que, no entanto, não impediu Washington de continuar a vender-lhe armas e de manter contatos oficiais com as autoridades locais, enviando assim "sinais errados às forças separatistas".
Pequim considera Taiwan como uma parte inalienável do seu território e insiste em que qualquer negociação com a ilha que ultrapasse o governo central viola o princípio fundamental da sua política de Uma Só China. A maioria dos países, incluindo a Rússia, reconhece a ilha como parte integrante da República Popular da China.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала