Pessoas usando máscaras de proteção caminham por rua em Paris, França, 27 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Sociedade e cotidiano
As principais notícias, reportagens e artigos sobre sociedade e a rotina cotidiana.

Misteriosas emissões de radiação gama no centro da Via Láctea podem proceder de pulsares, diz estudo

© Foto / ICRAR / Universidade de Curtin Uma impressão artística do Pulsar - uma estrela de nêutrons densa e girando rapidamente enviando ondas de rádio para o cosmos
Uma impressão artística do Pulsar - uma estrela de nêutrons densa e girando rapidamente enviando ondas de rádio para o cosmos - Sputnik Brasil, 1920, 01.05.2022
Nos siga noTelegram
Algo no centro da Via Láctea está brilhando com radiação gama, no entanto, ninguém sabe dizer com certeza do que se pode tratar.
Os raios gama são uma forma de radiação eletromagnética com o menor comprimento de onda e a maior energia.
O chamado excesso do Centro Galáctico (GCE, na sigla em inglês) é uma concentração de raios gama no centro da nossa galáxia. Até ao momento, esta radiação de raios gama não é bem compreendida pelos astrônomos.
O sinal foi detectado pela primeira vez em 2009 pelo Large Area Telescope, o principal instrumento do Telescópio Espacial de Raios Gama Fermi da NASA.
Sua origem tem sido debatida, com as principais sugestões incluindo a matéria escura autoaniquilante e uma acumulação indetectada de pulsares de milissegundos.
"Nosso trabalho não lança qualquer dúvida sobre a existência do sinal, mas oferece outra fonte potencial", disse Roland Crocker, astrônomo da Escola de Astronomia e Astrofísica da Universidade Nacional da Austrália. "É baseada em pulsares de milissegundo – estrelas de nêutrons que giram muito rapidamente – cerca de 100 vezes por segundo", acrescentou pesquisador.
© Foto / NASA/DOE/Fermi LAT CollaborationImagem de raios gama da Via Láctea captada pelo Telescópio Fermi
Imagem de raios gama da Via Láctea captada pelo Telescópio Fermi  - Sputnik Brasil, 1920, 01.05.2022
Imagem de raios gama da Via Láctea captada pelo Telescópio Fermi
Cientistas já detectaram emissões de raios gama de pulsares individuais de milissegundos na vizinhança do Sistema Solar, então se sabe que esses objetos emitem raios gama.
"Nosso modelo demonstra que a emissão integrada de toda a população de tais estrelas, cerca de 100.000 em número, produziria um sinal totalmente compatível com o excesso do Centro Galáctico", explica Crocker.
Por exemplo, o sinal de raios gama de Andrômeda, a grande galáxia mais próxima da nossa, pode ser devido principalmente a pulsares de milissegundos, escreve portal Sci-News.
O estudo da equipe internacional de cientistas foi publicado na revista Nature Astronomy.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала