Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ex-premiês da Austrália criticam ministro da Defesa por pedir preparação 'para a guerra' com China

CC BY-SA 2.0 / Flickr.com / Philip Mallis / Vista de Camberra, Austrália (imagem de arquivo)
Vista de Camberra, Austrália (imagem de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 27.04.2022
Nos siga noTelegram
A postura de Scott Morrison, atual primeiro-ministro da Austrália, foi atacada por outros políticos do país, em meio à assinatura de um pacto de segurança entre a China e as Ilhas Salomão.
Dois ex-premiês da Austrália criticaram Peter Dutton, ministro da Defesa do país, um dia após ele ter pedido aos australianos para que "se preparem para a guerra" com a China.
Kevin Rudd, primeiro-ministro entre 2007 e 2010, e em 2013, disse na terça-feira (26) à emissora Sky News, em comentários ao recém-assinado acordo de cooperação entre a China e as Ilhas Salomão, que o atual premiê Scott Morrison teve uma política nacional de "asneira" em relação aos seus vizinhos insulares do oceano Pacífico.
"Eles fizeram asneira nas [Ilhas] Salomão criando um monte de bobagem, como cortar a Rádio Austrália, cortar ajuda externa, não fazer frente às mudanças climáticas e virar as costas aos países das ilhas do Pacífico por quase dez anos", afirmou Rudd, do Partido Trabalhista, que está em campanha por outro membro do partido no distrito eleitoral de Chisholm em Melbourne, que tem uma grande presença de eleitores sino-australianos.
"Você pode soar o quanto quiser sobre a China, mas a não ser que você tenha sua defesa alinhada, o que ele não fez, e a não ser que você tenha sua política externa alinhada, o que as Ilhas Salomão mostram que ele não teve, então as pessoas simplesmente puxarão pela cabeça."
Citando a possibilidade da presença de uma base chinesa a menos de 2.000 km da costa da Austrália, e que isso ocorreu durante o governo de Morrison, o Partido Trabalhista australiano prometeu criar uma escola de defesa na Austrália para treinar pessoal de segurança dos países do oceano Pacífico e aumentar o financiamento para o combate à "pesca ilegal" na região.
Primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, e o líder de oposição, Anthony Albanese, durante primeiro debate da eleição federal marcada para maio de 2022, 20 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 21.04.2022
Panorama internacional
'Fracasso maciço': premiê da Austrália é acusado de falhar na questão do acordo China-Ilhas Salomão
Malcolm Turnbull, primeiro-ministro entre 2015 e 2018, e que, assim como Morrison, pertence ao Partido Liberal da Austrália governista, descreveu na terça-feira (26) igualmente o pacto de segurança entre as Ilhas Salomão e a China como uma "falha absoluta" de Camberra.
"A retórica de Peter Dutton está se tornando cada vez mais bombástica e beligerante. Só é uma pena que ele não corresponda com verdadeira preparação e trabalho [...] ele pensa que o objetivo de ser um ministro da Defesa é ter uma manchete sensacionalista em um jornal tabloide", comentou Turnbull à emissora ABC.
A China, por sua vez, rejeita alegações de que pretende construir uma base militar nas Ilhas Salomão, sublinhando que é, como outras nações do oceano Pacífico, um país independente, e exorta a Austrália a abandonar a "mentalidade de Guerra Fria".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала