Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Boris Johnson vai enfrentar investigação sobre ter mentido ou não ao Parlamento sobre Partygate

© AFP 2022 / BEN STANSALLO primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acena ao embarcar em um avião no aeroporto de Stansted, nos arredores de Londres, para uma visita à Índia, 20 de abril de 2022
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acena ao embarcar em um avião no aeroporto de Stansted, nos arredores de Londres, para uma visita à Índia, 20 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 21.04.2022
Nos siga noTelegram
Legisladores do Reino Unido ordenam investigação parlamentar ao primeiro-ministro, Boris Johnson, por supostamente mentir ao Parlamento britânico e ter furado o rigoroso lockdown durante o auge da pandemia de COVID-19, em escândalo que ficou conhecido como Partygate.
No início da semana, Johnson falou ao Parlamento, pedindo "sinceras desculpas" depois de ter sido multado por participar de festas em Downing Street que violaram as rígidas restrições durante o ápice da pandemia de COVID-19 impostas por seu próprio governo. Ele reconheceu que os britânicos "tinham o direito de esperar melhor de seu primeiro-ministro", mas assegurou que acreditava que não havia feito nada de errado.
Agora, o premiê britânico vai enfrentar uma investigação parlamentar que determinará se ele enganou ou não o Parlamento em relação ao seu envolvimento em festas realizadas em Downing Street durante o lockdown.
O esforço para investigar Johnson foi liderado pelo Partido Trabalhista, com os parlamentares dando nesta quinta-feira (21) luz verde à moção que pedia pela abertura do inquérito administrativo.
O sentimento de pesar de Boris não foi compartilhado por alguns membros do Parlamento, como o líder trabalhista Sir Keir Starmer que o criticou, chamando o premiê de "um homem sem vergonha", instando-o a renunciar. O primeiro-ministro, no entanto, continua relutante em renunciar, citando a atual crise na Ucrânia e as repercussões que isso causou no Reino Unido.
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, deixa Downing Street 10, em Londres, para fazer uma declaração na Câmara dos Comuns, 19 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 19.04.2022
Panorama internacional
Boris Johnson oferece 'sinceras desculpas' à Câmara dos Comuns após multa por escândalo 'partygate'
Johnson já pagou uma multa de £ 50,00 (cerca de R$ 300,00) emitida pela Polícia Metropolitana por sua participação em uma festa-surpresa de aniversário que ocorreu em Downing Street durante o lockdown. Alguns observadores, no entanto, acreditam que ele pode enfrentar multas ainda maiores à medida que a investigação sobre as alegações do Partygate continue.
Mais de 50% dos britânicos acreditavam que Johnson deveria renunciar, depois de ser pego quebrando suas próprias regras pela polícia. A multa fez dele o primeiro premiê britânico a infringir a lei enquanto estava no cargo.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала