- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Randolfe diz que conseguiu assinaturas suficientes para iniciar CPI sobre irregularidades no MEC

© Foto / Agência Senado / Waldemir BarretoEm pronunciamento, à bancada do Senado, senador Randolfe Rodrigues, 7 de abril de 2022
Em pronunciamento, à bancada do Senado, senador Randolfe Rodrigues, 7 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 08.04.2022
Nos siga noTelegram
Com todas as assinaturas necessárias para o pedido de instalação do inquérito, a solicitação segue agora para avaliação do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. O senador dando luz verde, a CPI poderá ser aberta.
Nesta sexta-feira (8), o senador Randolfe Rodrigues (Rede), afirmou que conseguiu reunir todas as assinaturas requeridas para protocolar o pedido de abertura de uma CPI com objetivo de investigar suspeitas de irregularidades no Ministério da Educação.
Randolfe é o autor do requerimento e precisava de 27 assinaturas, e até hoje (8), o pedido tinha 26. Entretanto, nesta manhã, o senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB) resolveu aderir ao pedido totalizando o número necessário para dar entrada no processo, segundo o jornal O Globo.
Agora, a solicitação seguirá para análise do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD). Caso Pacheco aceite, a CPI poderá ser aberta.
A mídia relata que na listagem de senadores que votaram a favor do inquérito está o nome da senadora Rose de Freitas (MDB), contudo, a parlamentar afirma que seu nome foi incluído sem sua autorização.
"Não assinei a CPI e, no entanto, meu nome constava no rol de assinaturas. [...] Fiquei o tempo todo me debatendo com minha assessoria sobre isso. Não obtive resposta satisfatória. Isso é uma fraude. É um problema técnico, de ordem técnica? Não existe isso. Outros parlamentares já passaram por essa situação. Mas isso é uma fraude. Quem fez isso tem que ser expulso dessa Casa", afirmou.
O pedido para abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigação de irregularidades no MEC acontece depois que um áudio vazado do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, expõe um suposto esquema informal para obtenção de verbas através da pasta para prefeituras municipais.
Em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro (à esquerda) posa ao lado do ministro da Educação, Milton Ribeiro, durante cerimônia em 22 de outubro de 2020. - Sputnik Brasil, 1920, 22.03.2022
Notícias do Brasil
Em áudio, ministro da Educação diz que favorece pastores evangélicos por ordem de Bolsonaro
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала