Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Rússia: Kiev é controlada por Washington e aliados e empurrada para continuar ações de combate

© Sputnik / Serviço de imprensa do Ministério das Relações Exteriores da RússiaSergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores russo, participa de reunião diplomática em Moscou, Rússia, foto publicada em 4 de abril de 2022
Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores russo, participa de reunião diplomática em Moscou, Rússia, foto publicada em 4 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 07.04.2022
Nos siga noTelegram
Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores russo, garantiu que a Rússia seguirá promovendo sua versão do projeto de acordo com a Ucrânia, apesar de provocações.
A Rússia continuará as negociações com a Ucrânia insistindo em sua versão do projeto de acordo, relatou na quinta-feira (7) Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores russo.
"Apesar de todas as provocações, a delegação russa continuará o processo de negociação promovendo nosso projeto de acordo, que tem todas as nossas posições e exigências fundamentais iniciais de forma clara e completa", comentou Lavrov.
O chanceler russo disse que o projeto de acordo apresentado na quarta-feira (6) pela Ucrânia difere do que foi proposto em Istambul.
"Ontem [6] o lado ucraniano apresentou ao grupo de negociações seu projeto de acordo, que mostra claramente um afastamento das disposições mais importantes da reunião de Istambul em 29 de março", apontou ele.
Além disso, nessa reunião a Ucrânia se comprometeu que as garantias de segurança não abrangeriam a Crimeia, mas agora esse ponto está ausente, referiu o chanceler da Rússia.

"Lembro que naquele documento de Istambul os ucranianos explicaram claramente que as futuras garantias de segurança da Ucrânia não se aplicam à Crimeia e a Sevastopol. Já no projeto de ontem essa constatação clara está ausente", contou Sergei Lavrov.

O ministro acrescentou que em vez dela surge "uma formulação vaga sobre algum tipo de controle efetivo como existia em 23 de fevereiro".
Sergei Lavrov, chanceler da Rússia. - Sputnik Brasil, 1920, 05.04.2022
Panorama internacional
Ocidente tenta sabotar conversas entre Moscou e Kiev com histeria sobre Bucha, diz Lavrov
Além disso, sublinhou ele, está presente a ideia de trazer os problemas da Crimeia e de Donbass para uma reunião entre Vladimir Putin e Vladimir Zelensky, presidentes da Rússia e da Ucrânia, respetivamente.
Lavrov mencionou ainda que a Ucrânia alterou a disposição sobre a realização de exercícios militares, retirando a necessidade de consultar a Rússia. Assim, no documento de Istambul, no contexto de uma Ucrânia neutral e sem arsenal nuclear, a participação do país de manobras militares com participação de contingentes estrangeiros só pode ocorrer com a unanimidade de todos os países garantes da segurança ucraniana, incluindo a Rússia.
Tudo isso aponta para uma estratégia de Kiev de mais e mais exigências, conclui o alto responsável russo.
"Provavelmente na próxima etapa o lado ucraniano pedirá retirar as forças [russas] e amontoará mais e mais condições prévias. Esta trama é compreensível, mas é inaceitável", resumiu o ministro das Relações Exteriores da Rússia.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала