Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

'Consequências destrutivas': diplomata alerta contra possível suspensão da Rússia de órgão da ONU

© REUTERS / Andrew KellyEm Nova York, o primeiro-vice-embaixador russo na Organização das Nações Unidas (ONU), Dmitry Polyanskiy, participa de reunião do Conselho de Segurança da organização em 14 de março de 2022.
Em Nova York, o primeiro-vice-embaixador russo na Organização das Nações Unidas (ONU), Dmitry Polyanskiy, participa de reunião do Conselho de Segurança da organização em 14 de março de 2022. - Sputnik Brasil, 1920, 07.04.2022
Nos siga noTelegram
O primeiro-vice-representante permanente da Rússia na Organização das Nações Unidas (ONU), Dmitry Polyansky, afirmou nas redes sociais que a possível suspensão da Rússia do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) poderia trazer graves consequências.
Polyansky publicou a declaração em seu canal no Telegram na quarta-feira (6), comentando a possibilidade levantada pelos EUA na ONU de que Rússia deixe o órgão.
"Esse é um movimento importante dos EUA e seus aliados que cria o risco de gerar consequências devastadoras no sistema da ONU", afirmou o diplomata russo.
O diplomata também afirmou que é "um precedente perigoso quando um grupo de países ocidentais tenta impor suas regras e preferências sobre outros". Para Polyansky, esse movimento mostra uma forma de "chantagem colonial inescrupulosa disfarçada de causa nobre".
Mais cedo nesta semana, a embaixadora norte-americana na ONU, Linda Thomas-Greenfield, pediu que outros países apoiem a medida de remover a Rússia do Conselho de Direitos Humanos da ONU. A decisão sobre o assunto deve ser anunciada nesta quinta-feira (7) durante a Assembleia Geral das Nações Unidas.
© REUTERS / Andrew KellyEm Nova York, a embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU), Linda Thomas-Greenfield, fala durante encontro do Conselho de Segurança, em 5 de abril de 2022
Em Nova York, a embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU), Linda Thomas-Greenfield, fala durante encontro do Conselho de Segurança, em 5 de abril de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 07.04.2022
Em Nova York, a embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU), Linda Thomas-Greenfield, fala durante encontro do Conselho de Segurança, em 5 de abril de 2022
A proposta vocalizada por Thomas-Greenfield seria uma sanção contra a operação militar especial russa na Ucrânia, que ocorre desde fevereiro.
Na terça-feira (5), a diplomata norte-americana afirmou que essa seria uma forma de isolar a Rússia dentro da ONU, uma vez que é impossível atender aos apelos do presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, de retirar Moscou do Conselho de Segurança.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала