Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

OTAN teme confronto direto com Rússia mas pretende lutar 'até o último ucraniano', diz MRE russo

© Sputnik / Stringer / Abrir o banco de imagensSoldados da Ucrânia durante exercícios militares conjuntos da Ucrânia e países da OTAN Rapid Trident 2020
Soldados da Ucrânia durante exercícios militares conjuntos da Ucrânia e países da OTAN Rapid Trident 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2022
Nos siga noTelegram
Os países da OTAN "estão brincando com o fogo", ao fornecerem armas para a Ucrânia, 40 mil militares da Aliança Atlântica estão em alerta máximo, disse em entrevista à Sputnik Nikolai Kobrinets, diretor do Departamento de Cooperação Pan-europeia do Ministério da Relações Exteriores da Rússia.
O diplomata apontou para o fortalecimento do flanco oriental da OTAN: um total de 40.000 soldados estão em alerta máximo sob o comando da aliança.

"Ainda mais alarmante – os suprimentos militares que os países da OTAN enviam para a Ucrânia. Eles estão brincando com o fogo", disse Kobrinets.

De acordo com ele, as armas que a União Europeia está fornecendo a Kiev, depois de algum tempo, se espalharão incontrolavelmente por toda a Europa e podem cair nas mãos de terroristas.
O diplomata russo declarou que a OTAN não pensa na paz, a Aliança Atlântica apenas tenta justificar a sua existência e a política de "contenção" da Rússia.
"Na OTAN não pensam na paz. Ela só quer justificar a sua existência e a política de 'contenção' da Rússia", observou Kobrinets.
O diretor do departamento da chancelaria russa afirmou ainda que a OTAN tem medo de um confronto direto com a Rússia, mas pretende lutar "até o último ucraniano".
"[A OTAN] tem medo de um confronto direto com o nosso país – o sentimento de autopreservação ainda não perderam. Mas eles pretendem lutar 'até o último ucraniano'. É uma política desumana e extremamente cínica", observou.
Combatentes da Milícia Popular da República de Donetsk no Aeroporto de Mariupol libertado - Sputnik Brasil, 1920, 31.03.2022
Panorama internacional
Mercenários estrangeiros capturados na república de Donetsk vão a julgamento, diz porta-voz
De acordo com informações do The Times, durante a reunião nesta terça-feira (30) o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que quer ajudar a Ucrânia enviando armamentos "mais letais".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала