- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

'Não vendo minha alma a ninguém': Silva e Luna afirma que Bolsonaro tentou intervir na Petrobras

© Foto / Alan Santos / Palácio do Planalto / CCBY 2.0Palavras do Presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna em Brasília, 31 de janeiro de 2022
Palavras do Presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna em Brasília, 31 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2022
Nos siga noTelegram
De acordo com general, sua relutância em atender pedidos do chefe de Estado colaborou para sua demissão. Silva e Luna relatou que sofria pressões constantes para trocar diretores dentro da estatal.
Na segunda-feira (28), o presidente, Jair Bolsonaro (PL), decidiu substituir o general da reserva Joaquim Silva e Luna na presidência da Petrobras pelo especialista em energia Andriano Pires, conforme noticiado.
Em uma entrevista à revista Veja hoje (1º), Silva e Luna analisou seu mandato e fez francas declarações acerca da relação do presidente da República com a estatal.
Segundo o general, sua demissão aconteceu porque ele não concordou em seguir diretrizes e solicitações de Bolsonaro para empresa, e que "não colocou seus valores em xeque" porque "não vende sua alma a ninguém".
"O presidente é um político, minha relação com ele foi respeitosa. Mas, ao final, em razão de não poder alterar preços, não aceitar interferência dentro da empresa, não aceitar mudar pessoas aqui dentro, trocar diretores, esse foi o desfecho. Não vendo minha alma a ninguém, não coloco meus valores em xeque", afirmou Silva e Luna.
Ainda de acordo com militar, ele sofreu "pressões crescentes" em torno do preço dos combustíveis e da troca de diretores.
"As pressões sempre foram crescentes. Em torno do preço dos combustíveis, por troca de diretores. Foram todas absorvidas, nunca cedidas. Nenhuma. Essas resistências foram crescendo, foram feitas algumas sinalizações públicas", afirmou.
O vice-presidente da República e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, Hamilton Mourão, fala à imprensa, após a terceira reunião do colegiado, no Palácio Itamaraty em Brasília, 3 de novembro de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 30.03.2022
Notícias do Brasil
Mourão diz que troca na presidência da Petrobras 'não vai mudar nada'
Entretanto, enviou votos positivos ao novo chefe da petrolífera dizendo que "vamos ver se meu sucessor tem sorte, de ele chegar aqui e acabar a guerra. Que esse conflito de oferta e demanda se equilibre".
De acordo com o UOL, Silva e Luna declarou que não conversou com Bolsonaro desde que soube que deixaria o cargo de presidente da Petrobras.

"Próximo de dois meses que a gente não tem conversado. Tem trocas com [interlocutores], mas contato pessoal, não."

O presidente da República vinha demonstrando insatisfação com a administração do general, já que acreditava que a atuação de Silva e Luna poderia ter sido mais incisiva perante a diretoria colegiada da estatal, segundo o R7.
Mesmo com a demissão anunciada, o militar segue no comando da Petrobras até 13 de abril, quando será substituído por Adriano Pires.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала