Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta sexta-feira, 1º de abril

© REUTERS / KEVIN LAMARQUEPresidente dos EUA, Joe Biden, fala durante briefing na Casa Branca sobre os preços de energia, EUA, 31 de março de 2022
Presidente dos EUA, Joe Biden, fala durante briefing na Casa Branca sobre os preços de energia, EUA, 31 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2022
Nos siga noTelegram
Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta sexta-feira (1º), marcada pelo recuo de João Doria que segue como candidato à Presidência, pela liberação de petróleo sem precedentes anunciada por Joe Biden e pelo incêndio em um depósito de petróleo russo causado por um ataque aéreo ucraniano.

João Doria recua do plano e mantém sua pré-candidatura à Presidência da República pelo PSDB

Na tarde desta quinta-feira (31), o governador de São Paulo, João Doria, desistiu do plano anunciado a aliados, renunciou ao governo paulista e disse que segue como candidato à Presidência. Já na manhã do mesmo dia, Doria tinha avisado aliados e auxiliares que havia desistido de concorrer à Presidência pela sigla e que não vai mais deixar o cargo, como estava previsto. Mas, logo depois, Doria recuou de sua promessa. Segundo escreve o Estadão, Doria havia reclamado da falta de apoio à sua pré-candidatura pelo presidente da legenda, Bruno Araújo. A decisão de Araújo de emitir uma carta deixando claro que o governador é a opção do PSDB para a Presidência foi crucial para que Doria não desistisse do projeto.
© Folhapress / Bruno Rocha/Agência EnquadrarJoão Doria anuncia que será candidato à Presidência da República, na 64ª edição do Congresso Estadual de Municípios, no Palácio dos Bandeirantes, 31 de março de 2022
João Doria anuncia que será candidato à Presidência da República, na 64ª edição do Congresso Estadual de Municípios, no Palácio dos Bandeirantes, 31 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2022
João Doria anuncia que será candidato à Presidência da República, na 64ª edição do Congresso Estadual de Municípios, no Palácio dos Bandeirantes, 31 de março de 2022

Milton Ribeiro diz à PF que Bolsonaro lhe pediu para receber pastor

Conforme revela o jornal O Globo e confirma o portal UOL, o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou à Polícia Federal que recebeu um dos pastores, acusados de negociar verbas públicas para prefeitos, a pedido do presidente Jair Bolsonaro. Milton Ribeiro virou alvo de inquérito da PF por suspeita de favorecer pastores na liberação de verbas da pasta para prefeituras. Porém, apesar da confirmação, o ex-ministro negou qualquer tipo de favorecimento e a existência de um "gabinete paralelo" na pasta: "O presidente Jair Bolsonaro realmente pediu para que o pastor Gilmar fosse recebido, porém isso não quer dizer que o mesmo gozasse de tratamento diferenciado ou privilegiado na gestão do FNDE ou MEC, esclarecendo que, como ministro, recebeu inúmeras autoridades, pois ocupava um cargo político", diz o trecho do depoimento, citado pelo UOL.
© Folhapress / Pedro LadeiraEx-ministro da Educação do Brasil, Milton Ribeiro
Ex-ministro da Educação do Brasil, Milton Ribeiro - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2022
Ex-ministro da Educação do Brasil, Milton Ribeiro

EUA decidem liberar 1 milhão de barris de petróleo por dia das reservas estratégicas

A Casa Branca anunciou na quinta-feira (31) que vai liberar um milhão de barris de petróleo por dia, quantidade sem precedentes, da Reserva Estratégica de Petróleo (SPR, na sigla em inglês) nos próximos seis meses, para aumentar os volumes de combustível no mercado. A maior liberação de petróleo da SPR na história dos EUA fez cair os preços. O The Wall Street Journal ressalta que as declarações do presidente Joe Biden "causaram críticas" por parte da indústria petrolífera, que considera que ele "acusou injustamente" as empresas energéticas americanas de não "bombearem mais petróleo em resposta ao déficit" provocado pela operação especial russa na Ucrânia e pela recuperação da economia após pandemia. Enquanto isso, o chanceler austríaco, Karl Nehammer, disse ser contra o embargo às entregas de gás e petróleo russos, medida tomada recentemente pela América e vários outros países. Além do mais, hoje, sexta-feira (1º), entrou em vigor o decreto do presidente Vladimir Putin, estipulando que todos os pagamentos por fornecimento de gás com empresas registradas em países "hostis" devem ser efetuados em rublos.
© REUTERS / Richard CarsonLabirinto de tubulações de petróleo com as bandeiras dos EUA e do Texas
Labirinto de tubulações de petróleo com as bandeiras dos EUA e do Texas - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2022
Labirinto de tubulações de petróleo com as bandeiras dos EUA e do Texas

Incêndio no depósito de petróleo na cidade russa de Belgorod é causado por ataque de 2 helicópteros ucranianos, diz governador

Um depósito de petróleo pegou fogo nesta sexta-feira (1º) na cidade russa de Belgorod, perto da fronteira com a Ucrânia. Segundo informou depois o governador da região, Vyacheslav Gladkov, o incêndio ocorreu em resultado de um ataque aéreo realizado por dois helicópteros das tropas ucranianas. "O incêndio no depósito de petróleo ocorreu na sequência de um ataque aéreo realizado por dois helicópteros que entraram no espaço aéreo russo a baixa altitude", escreveu ele em seu canal no Telegram. Todos os serviços de emergência foram enviados ao local. De acordo com funcionários, dois empregados do depósito ficaram feridos, mas sem risco de vida. Os moradores de três ruas nas proximidades do depósito foram transferidos para um local seguro. De acordo com os serviços de emergência, existe uma ameaça de o fogo alastrar a outros 16 reservatórios próximos com combustível.
Ministro interino para Situações de Emergência Chuprian partirá para o local do incêndio em Belgorod

França considera possível proposta para se tornar garante da segurança ucraniana, diz chanceler

Paris consideraria uma possível proposta para se tornar um dos garantes da segurança futura da Ucrânia, afirmou o chanceler francês, Jean-Yves Le Drian. Kiev propôs um novo sistema de garantias de segurança para a Ucrânia com os países do Conselho de Segurança da ONU, junto com a Turquia, Alemanha, Canadá, Itália, Polônia e Israel que agiriam como garantes no futuro. "Prestamos atenção às propostas de Vladimir Zelensky. Se as recebermos, vamos estudá-las com bastante atenção. Certamente, o status neutro [da Ucrânia] é impossível sem garantias de segurança", disse Le Drian ao jornal Figaro. Ele sublinhou ainda que o mecanismo de segurança deve ser discutido primeiramente pela Rússia e Ucrânia. Ao mesmo tempo, o ministro vê com bons olhos as negociações russo-ucranianas, que, segundo ele, não demonstraram avanços, mas confirmou que o presidente Emmanuel Macron continuará comunicando com Vladimir Putin sobre a situação ucraniana.
© REUTERS / LEHTIKUVAJean-Yves Le Drian, ministro das Relações Exteriores, durante coletiva de imprensa em Helsinque, Finlândia, 31 de março de 2022
Jean-Yves Le Drian, ministro das Relações Exteriores, durante coletiva de imprensa em Helsinque, Finlândia, 31 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2022
Jean-Yves Le Drian, ministro das Relações Exteriores, durante coletiva de imprensa em Helsinque, Finlândia, 31 de março de 2022

Diálogo político entre Rússia e OTAN é impossível atualmente, diz diplomata russo

O diálogo político entre Moscou e a Aliança Atlântica é impossível nas condições atuais, não faz nenhum sentido sequer falar sobre condições para retomar os contatos, disse à Sputnik o chefe do Departamento da Cooperação Europeia do MRE russo, Nikolai Kobrinets. "Toda a cooperação prática que tem sido construída ao longo dos anos se desmoronou há muito", disse, lembrando a expulsão dos diplomatas russos de Bruxelas nos últimos anos. O funcionário também apontou para o fortalecimento da aliança no flanco leste e as entregas militares dos países-membros da OTAN à Ucrânia. "Neste contexto, não existe necessidade sequer de falar teoricamente sobre certas condições para retomar os contatos com a OTAN", acrescentou. Quanto às restrições do Ocidente, o diplomata disse que a Rússia não vai pedir que a UE cancele suas sanções, porque o país tem margens de segurança, enquanto a UE não é "o centro do Universo".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала