Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

'Absurdo': premiê da Hungria explica por que é impossível para seu país abdicar da energia russa

© Sputnik / Sergei Guneev / Abrir o banco de imagensPrimeiro-ministro húngaro, Viktor Orban
Primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2022
Nos siga noTelegram
A Hungria não tem intenções de abdicar da energia russa, sendo essa uma condição do funcionamento da economia do país, não basta "vestir um casaco" como se propõe no Ocidente, disse Victor Orban, primeiro-ministro da Hungria.

"Não se trata de vestirmos um casaco, de diminuirmos um pouco o aquecimento, como alguns pensam no Ocidente, ou pagarmos uns florins húngaros mais pelo gás e nos postos de combustível. Trata-se do seguinte: se a energia não vier da Rússia, não há energia na Hungria. É uma questão de funcionamento ou não funcionamento da economia", afirmou Orban no ar da rádio Kossuth.

De acordo com suas palavras, muitos países na Europa não têm saída para o mar, "e isso não é a sua escolha", portanto é impossível substituir o gás russo pelo gás natural liquefeito dos EUA, por exemplo.

"Isso não serve para nós, desligar a energia russa barata, o gás, e substituí-lo pelo gás americano caro. É uma ótima ideia por si só, mas não sei como ela pode funcionar na Hungria, esse gás natural liquefeito, transportado pelo mar, por navios, considero isso um absurdo", acrescentou.

Recentemente, Viktor Orban declarou que o país se opõe à aplicação das sanções aos recursos energéticos da Rússia, o que levaria à recessão e parada da economia húngara em pouco tempo. O presidente da Polônia, Andrzej Duda, disse que a determinação da Hungria de não abdicar dos recursos russos custará muito para ela.
O sol se põe sobre os prédios do distrito bancário da cidade de Frankfurt com empresas como Volkswagen, Siemens e BASF, 19 de agosto de 2019 - Sputnik Brasil, 1920, 01.04.2022
Panorama internacional
Gigante da indústria química alemã pode fechar as portas sem gás russo, alerta especialista
O vice-premiê da Rússia, Aleksandr Novak, ressaltou recentemente que até mesmo a discussão sobre a recusa europeia do gás russo tem impacto negativo no mercado, que reage de imediato. De acordo com suas palavras, sem o petróleo e gás russos, haverá um colapso no mundo, com preços imprevisíveis.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала