Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Mercenários estrangeiros capturados na república de Donetsk vão a julgamento, diz porta-voz

© Sputnik / Viktor AntonyukCombatentes da Milícia Popular da República de Donetsk no Aeroporto de Mariupol libertado
Combatentes da Milícia Popular da República de Donetsk no Aeroporto de Mariupol libertado - Sputnik Brasil, 1920, 31.03.2022
Nos siga noTelegram
Mercenários estrangeiros detidos na República Popular de Donetsk (RPD) serão julgados em breve, disse Eduard Basurin, porta-voz da milícia popular da RPD, à Sputnik nesta quinta-feira (31).

"Eles não serão tratados como prisioneiros de guerra. Eles serão presos e levados a julgamento", disse ele, quando questionado sobre o destino desses detidos durante a libertação do território da república popular das tropas ucranianas.

Ontem (30), Basurin disse que os combatentes ucranianos não poderão deixar a cidade portuária sitiada de Mariupol.

"Eles já receberam tal proposta, mas recusaram. Por isso não são mais militantes, mas criminosos porque mataram civis. Sim, garantimos mantê-los vivos, mas não acho que vamos deixá-los sair da cidade", declarou o porta-voz.

Mariupol é um dos pontos mais quentes da operação militar russa na Ucrânia, já que a cidade foi sitiada e invadida pelas forças russas e da república popular de Donetsk por várias semanas.
A saída de civis, contudo, foi garantida pelo próprio presidente russo Vladimir Putin em conversa telefônica nesta quarta-feira (30) com o chanceler alemão, Olaf Scholz.
"Vladimir Putin e Olaf Scholz trocaram pontos de vista sobre as recentes negociações entre representantes de Rússia e Ucrânia realizadas em Istambul no dia anterior. As questões de garantia da evacuação segura de civis de áreas de combate, principalmente de Mariupol, foram consideradas", afirmou o Kremlin em comunicado.

Status do conflito

A Rússia iniciou sua operação especial militar na Ucrânia em 24 de fevereiro atendendo ao chamado das recém-reconhecidas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk após inúmeras tentativas de estabelecer que órgãos internacionais ocidentais intercedessem junto a Kiev para que o conflito estabelecido em Donbass, denunciado por Moscou, fosse encerrado pelas vias diplomáticas.
Ao contrário do que se esperava, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e aliados ocidentais, fortemente influenciados pelos EUA, alimentaram a escalada de tensões na região, adotando, como consequência à operação russa, uma dura bateria de sanções contra parlamentares, empresários, governo e meios de comunicação russos, afetando a economia do país de forma declarada em uma verdadeira guerra híbrida, segundo o Kremlin.
Depois da última rodada de negociações, o lado ucraniano desistiu de sua intenção de retomar a Crimeia e Sevastopol pela via militar, devendo usar exclusivamente a via negocial, segundo a delegação russa. Ainda de acordo com o representante do Kremlin nas negociações, Vladimir Medinsky, as propostas ucranianas serão estudas cuidadosamente por Moscou.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала