- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Bolsonaro volta a condenar bloqueio do Telegram alegando que milhões de pessoas foram prejudicadas

© Evaristo SáPresidente Jair Bolsonaro estende a mão com um celular durante a cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, 29 de junho de 2021
Presidente Jair Bolsonaro estende a mão com um celular durante a cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, 29 de junho de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 24.03.2022
Nos siga noTelegram
Mandatário já havia rotulado como "crime" decisão do STF mesmo quando medida já havia sido cancelada no domingo (20). Apesar das críticas, perfis da família Bolsonaro vêm ganhando dezenas de novos inscritos na plataforma.
Ao conversar com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada nesta quinta-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou novamente a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de ter bloqueado o Telegram na semana passada.
"Uma decisão em cima de um aplicativo. São dezenas de milhões de pessoas que usam e, de repente, o cara fala que não vai ter mais", afirmou o presidente, citado pelo UOL, ao se referir à decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes.
Na segunda-feira (21), Bolsonaro já havia condenado a medida, a qual foi revogada no domingo (20), dizendo que era "um crime" o que estava acontecendo.

"Um crime, um ato lamentável que, em tempo, ele resolveu recuar", disse o mandatário conforme noticiado.

Entretanto, mesmo com as reclamações do chefe de Estado, sua popularidade e de seus filhos parlamentares aumentou depois da decisão do Supremo. Na terça-feira (22), o perfil do presidente já havia ganhado mais de 183 mil novos inscritos, um aumento de cerca de 17% em quase quatro dias (tempo entre o bloqueio e a revogação da medida).
Presidente da República, Jair Bolsonaro, Senador Flávio Bolsonaro (PSL/RJ) em Brasília (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 22.03.2022
Notícias do Brasil
Bloqueio do Telegram alavanca contas da família Bolsonaro no aplicativo
Também na terça-feira (22), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, mandou ofício ao Telegram solicitando uma reunião para discutir a colaboração da plataforma em estratégias de combate a notícias falsas durante as eleições deste ano no Brasil.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала