Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Professor britânico é criticado pelo governo por indagar mídia ocidental sobre situação na Ucrânia

© Sputnik / Maksim Blinov / Abrir o banco de imagensMilitar da Milícia Popular de Donetsk fala com refugiados na saída da cidade de Mariupol
Militar da Milícia Popular de Donetsk fala com refugiados na saída da cidade de Mariupol 
 - Sputnik Brasil, 1920, 23.03.2022
Nos siga noTelegram
Tim Hayward, professor da Universidade de Edimburgo, está sendo fortemente criticado na mídia por compartilhar um artigo sugerindo que o bombardeio de um teatro na cidade de Mariupol pode ter sido encenado por nacionalistas ucranianos.
O ceticismo de Hayward já fez com que o secretário de Educação do Reino Unido, Nadhim Zahawi, prometesse uma "repressão severa" contra tais pensamentos errôneos.
No domingo (20), Hayward compartilhou um artigo do Grayzone, um jornal de esquerda, citando testemunhas na cidade ucraniana de Mariupol.
O artigo aponta que os combatentes ucranianos do Batalhão Azovdescritos até mesmo por veículos de comunicação ocidentais e legisladores como neonazistas – se escondiam atrás de civis em um teatro em Mariupol, antes de fazer explodir o edifício assim que as forças russas entraram na referida cidade ucraniana.
Os mercenários do Batalhão Azov e jornalistas ligados à unidade extremista acusaram o Exército russo de atacar o edifício e pediram ao Ocidente para intervir.
No entanto, não há qualquer vídeo que mostre o teatro sendo bombardeado e a Rússia nega atacar o prédio, afirmando que ele "nunca foi considerado um alvo de ataque".
Membros do serviço de tropas pró-Rússia caminham ao longo de uma estrada durante o conflito Ucrânia-Rússia em uma estrada perto da cidade portuária sitiada de Mariupol, Ucrânia 21 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 21.03.2022
Panorama internacional
MD russo: Kiev ordenou a batalhões nacionalistas que se disfarçassem de civis para deixar Mariupol
Hayward foi criticado por seus colegas por ter levantado a questão. O secretário de Educação, Nadhim Zahawi, disse que acadêmicos como Hayward já estavam sendo investigados e que suas universidades seriam contatadas.
Em entrevista ao jornal Edinburgh Live, o professor da universidade escocesa afirmou que estava preocupado com as restrições à liberdade de expressão, e que considera importante ouvir ambos os pontos de vista em tempos de conflito.
Anteriormente, o Ministério da Defesa russo disse que as acusações do governo de Kiev de que a Rússia teria realizado um ataque aéreo a um teatro em Mariupol, onde civis poderiam estar sendo mantidos reféns, não são verdadeiras.
Segundo o órgão, as aeronaves russas não realizaram nenhum ataque em terra. De acordo com o Ministério da Defesa russo, a missão tem como alvo apenas a infraestrutura militar da Ucrânia.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала