Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Reino Unido revoga licença de transmissão do canal de televisão russo RT

© Sputnik / Yevgeny BiatovEm Moscou, logo da RT é fotogrado, em 28 de janeiro de 2015
Em Moscou, logo da RT é fotogrado, em 28 de janeiro de 2015 - Sputnik Brasil, 1920, 18.03.2022
Nos siga noTelegram
A decisão foi anunciada pelo órgão regulador de mídia do Reino Unido (Ofcom, na sigla em inglês) nesta sexta-feira (18) e terá "efeito imediato".
Em comunicado divulgado nesta sexta-feira (18), a Ofcom justificou a decisão dizendo que não considera que o produto de mídia da Rússia seja "adequado" a manter sua licença de transmissão.

"A Ofcom revogou hoje a licença da RT para transmitir no Reino Unido, com efeito imediato. Fizemos isso com base no entendimento de que não consideramos a licenciada do RT, ANO TV Novosti, apta e adequada para possuir uma licença de transmissão no Reino Unido", disse o órgão regulador britânico no comunicado.

Em resposta à decisão da Ofcom, a assessoria de imprensa do RT classificou o anúncio como mais uma manobra política, em meio à chuva de sanções que o Ocidente vem aplicando à Rússia.

"Não há dúvida de que a decisão da Ofcom de revogar a licença de transmissão do RT é política. Por muitos anos, o Reino Unido procurou uma razão formal para fechar o RT, mas tentou manter a aparência de liberdade de expressão. Agora, as máscaras foram retiradas", disse a assessoria de imprensa do RT.

Em São Petersburgo, na Rússia, duas mulheres aparecem paradas em um estande da RT durante um evento internacional, 3 de junho de 2021. - Sputnik Brasil, 1920, 16.03.2022
Panorama internacional
Canadá proíbe provedores de TV de veicularem canais da RT
O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, tachou a medida da Ofcom como uma violação da liberdade de expressão e um "atentado contra a propriedade privada". Peskov considera que essa postura é "uma tendência muito perigosa para os próprios europeus".

"É uma continuação daquela loucura antirrussa que está sendo vivida hoje nos Estados Unidos e na Europa, mais um passo na sucessão de ações que restringem absurdamente a liberdade de expressão e violam todas as leis, incluindo as europeias, relativas à liberdade de mídia", informou Peskov a repórteres nesta sexta-feira (18).

Desde o início da operação militar especial russa na Ucrânia, no dia 24 de fevereiro, os EUA e seus aliados iniciaram a aplicação de sanções contra Moscou. Entre as medidas estão restrições econômicas às reservas internacionais russas e suas exportações de petróleo, aço e ferro.
Além disso, a União Europeia censurou o acesso ao RT e Sputnik em seu território. YouTube, Facebook, Instagram e Twitter também restringiram o acesso a páginas e links de mídias estatais russas. No caso do YouTube, todas essas mídias foram banidas da plataforma.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала