Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Em crítica a Biden, Trump afirma que os EUA 'não têm ninguém para conversar' com Putin

© REUTERS / Randall HillEm Florence, na Carolina do Sul, o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, discursa durante comício, em 12 de março de 2022
Em Florence, na Carolina do Sul, o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, discursa durante comício, em 12 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 13.03.2022
Nos siga noTelegram
No sábado (12), o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que o conflito na Ucrânia continua e pode se agravar ainda mais porque, sob a administração do presidente norte-americano, Joe Biden, os EUA não têm "ninguém para conversar" com o presidente russo, Vladimir Putin.
A declaração de Trump ocorreu durante um comício em Florence, na Carolina do Sul.

"Apesar de toda a fraqueza, covardia e incompetência de Biden, ainda há um caminho para ele acabar com essa tragédia na Ucrânia, sem que os norte-americanos fiquem presos em uma guerra horrível e muito sangrenta. Aliás, isso pode levar a uma terceira guerra mundial", disse o ex-presidente.

Trump sugeriu que Washington deveria ameaçar Moscou com "consequências devastadoras", como eliminar permanentemente a dependência ocidental da energia russa.

"Não temos ninguém para falar com ele [o presidente russo, Vladimir Putin]. Comigo vocês tinham alguém para falar com ele", disse Trump, acrescentando que "sua personalidade" teria mantido os EUA fora da guerra durante sua gestão.

Durante o discurso, Trump voltou a afirmar sem evidências que a eleição presidencial de 2020 foi fraudada e convocou seus apoiadores a votarem nas eleições parlamentares de meio de mandato deste ano. "Vamos vencer como nunca antes", disse Trump.
© REUTERS / Mídia AssociadaO presidente dos EUA, Joe Biden, faz o discurso do Estado da União durante uma sessão conjunta do Congresso na Câmara da Câmara do Capitólio dos EUA em 1º de março de 2022 em Washington, DC, EUA
O presidente dos EUA, Joe Biden, faz o discurso do Estado da União durante uma sessão conjunta do Congresso na Câmara da Câmara do Capitólio dos EUA em 1º de março de 2022 em Washington, DC, EUA - Sputnik Brasil, 1920, 13.03.2022
O presidente dos EUA, Joe Biden, faz o discurso do Estado da União durante uma sessão conjunta do Congresso na Câmara da Câmara do Capitólio dos EUA em 1º de março de 2022 em Washington, DC, EUA
O governo Biden aumentou o peso das sanções contra a Rússia desde o início da operação militar especial russa na Ucrânia em 24 de fevereiro. Nesta semana, a Casa Branca, que já havia fechado seu espaço aéreo para Rússia, anunciou o banimento das importações de petróleo russo.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала