Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Ucrânia: imagens mostram prisão ilegal de Batalhão nazista Aidar

Nos siga noTelegram
A tomada de poder na Ucrânia por indivíduos nacionalistas e neonazistas em 2014 facilitou um ambiente russófobo, no qual crimes contra seus opositores foram normalizados.
Desde 2014, quando ocorreu um golpe de Estado pró-Ocidente na Ucrânia, nacionalistas e neonazistas têm perseguido opositores e populações russófonas.
Exemplos incluem o incêndio na sede local de sindicatos de Odessa, que matou 42 pessoas e feriu cerca de 250 outras, saques, assassinatos e estupros de civis e opositores, e restrições à língua russa nos anos seguintes.
Durante a atual operação especial da Rússia na Ucrânia, tais crimes incluem o uso de civis como escudos humanos em áreas urbanas cercadas pelas forças russas e das repúblicas populares em Donbass, ou o aprisionamento de inimigos pelos nacionalistas do Batalhão Aidar.
© Sputnik / Valery MelnikovArame farpado em torno da área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Arame farpado em torno da área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
1/10
Arame farpado em torno da área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
© Sputnik / Valery MelnikovPlaca indicando acesso restrito a área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Placa indicando acesso restrito a área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
2/10
Placa indicando acesso restrito a área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
© Sputnik / Valery MelnikovMembros da Milícia Popular locais na área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Membros da Milícia Popular locais na área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
3/10
Membros da Milícia Popular locais na área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
© Sputnik / Valery MelnikovTorre de vigilância junto de cerca com arame farpado em área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Torre de vigilância junto de cerca com arame farpado em área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
4/10
Torre de vigilância junto de cerca com arame farpado em área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
© Sputnik / Valery MelnikovRepórter dentro de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Repórter dentro de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
5/10
Repórter dentro de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
© Sputnik / Valery MelnikovLançadores de granadas antitanque manuais dentro de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Lançadores de granadas antitanque manuais dentro de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
6/10
Lançadores de granadas antitanque manuais dentro de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
© Sputnik / Valery MelnikovTerra escavada na área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Terra escavada na área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
7/10
Terra escavada na área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
© Sputnik / Valery MelnikovInstalações de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Instalações de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
8/10
Instalações de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
© Sputnik / Valery MelnikovMembro da Milícia Popular local na área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Membro da Milícia Popular local na área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
9/10
Membro da Milícia Popular local na área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
© Sputnik / Valery MelnikovArame farpado em torno da área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos, mostrando seu interior, em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Arame farpado em torno da área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos, mostrando seu interior, em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil
10/10
Arame farpado em torno da área de antiga fábrica de salsichas em que existia prisão ilegal do batalhão nacionalista Aidar para pró-independentistas locais e simpatizantes suspeitos, mostrando seu interior, em Polovinkino, região de Starobelsk, República Popular de Lugansk.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала