Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Macron insta a 'sempre respeitar a Rússia como um país e o povo russo'

© REUTERS / Benoit TessierEmmanuel Macron, presidente francês e candidato à reeleição em 2022, realiza encontro com moradores de Poissy como seu primeiro evento da campanha, França, 7 de março de 2022
Emmanuel Macron, presidente francês e candidato à reeleição em 2022, realiza encontro com moradores de Poissy como seu primeiro evento da campanha, França, 7 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 08.03.2022
Nos siga noTelegram
Em meio à operação especial russa na Ucrânia, o presidente francês crê que é necessário cultivar laços humanos com a Rússia, "mesmo que tenhamos diferenças".
Emmanuel Macron, presidente da França, disse na terça-feira (8) que a Rússia e seu povo devem ser tratados com respeito em meio à situação na Ucrânia, pois uma paz de longo prazo é impossível sem a participação da Rússia.
"Somos responsáveis por manter todos os laços humanos possíveis: continuar falando com os povos russo e belarusso com a ajuda de artistas, intelectuais, cooperação na esfera técnica, comércio e ONGs", apontou o chefe de Estado em uma reunião pré-eleitoral na comuna de Poissy, França.
"Esta é a minha tarefa de continuar falando com os líderes, mesmo que tenhamos diferenças [...] e sempre respeitar a Rússia como um país e o povo russo", acrescentou Macron.
Olaf Scholz, chanceler alemão, fala em sessão extraordinária do parlamento do país sobre operação especial da Rússia na Ucrânia em Berlim, Alemanha, 27 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 27.02.2022
Panorama internacional
Impossível 'construir segurança a longo prazo na Europa contra a Rússia', diz chanceler da Alemanha
O presidente francês sublinhou que seria impossível falar de uma paz duradoura se a Rússia não for parte da "grande arquitetura da paz" do continente europeu.
A Rússia lançou uma operação militar especial na Ucrânia nas primeiras horas de 24 de fevereiro, depois que as repúblicas populares de Donetsk e Lugansk pediram ajuda para se defender contra a agressão de Kiev. A Rússia declarou que o objetivo é "desmilitarizar" e "desnazificar" a Ucrânia, e que apenas a infraestrutura militar ucraniana seria visada.
Moscou sublinhou repetidamente que não tem planos de ocupar a Ucrânia. Segundo Vladimir Putin, presidente da Rússia, o objetivo é proteger o povo de Donbass, "que foi submetido a abusos e genocídios pelo regime de Kiev por oito anos".
Em resposta, os países ocidentais lançaram uma campanha abrangente de sanções contra Moscou, que inclui fechamento do espaço aéreo e medidas restritivas visando vários funcionários e entidades russas, mídia e instituições financeiras. O Ocidente também tem passado por uma onda russofóbica, com diplomatas, organizações culturais e cidadãos da Rússia sofrendo agressões e boicotes.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала