Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

'Não é preciso mentir, digam a verdade' sobre Donbass, pede residente turco da região

© Sputnik / Aleksei KudenkoCasa residencial destruída em Nikolaevka, República Popular de Donetsk
Casa residencial destruída em Nikolaevka, República Popular de Donetsk - Sputnik Brasil, 1920, 06.03.2022
Nos siga noTelegram
A Sputnik entrevistou um morador turco na região de Donbass. Como ele explicou, as forças ucranianas têm atacado indiscriminadamente a região nos últimos anos, mas isso não tem recebido a devida atenção.
A guerra do Exército da Ucrânia contra a região de Donbass tem decorrido, ocultada ao mundo, desde 2014, contou à Sputnik um cidadão turco, que aceitou compartilhar sua experiência sob condição de anonimato.
"Os arredores de Donetsk, que não estão longe da fronteira com a Ucrânia, têm sido submetidos rotineiramente a bombardeios. Os projéteis também caíram no centro da cidade; os bombardeios eram inicialmente realizados por aviões de guerra. Agora os ataques continuam, nada mudou drasticamente desde aquele tempo, eles continuam nos bombardeando", disse o residente de Donetsk.
O conflito começou em fevereiro de 2014, após um golpe de Estado em Kiev com participação significativa de forças ultranacionalistas na mudança de regime. As regiões tradicionalmente russófonas de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia, não reconheceram a ação. Em retaliação, Kiev lançou uma ofensiva violenta contra a região.
© Sputnik / Aleksei KudenkoMoradora de Nikolaevka, República Popular de Donetsk, após destruição de sua casa
Moradora de Nikolaevka, República Popular de Donetsk, após destruição de sua casa - Sputnik Brasil, 1920, 06.03.2022
Moradora de Nikolaevka, República Popular de Donetsk, após destruição de sua casa
"Da varanda podíamos ver projéteis brilhando no ar a olho nu. Muitos deles caíram no centro da cidade. O lado ucraniano lançou bombas sem se preocupar muito onde elas cairiam. A eles não interessava se seriam afetados um prédio residencial, um escritório, um centro comercial ou uma instalação militar. "Eles bombardearam a cidade indiscriminadamente", lembrou, estimando que cerca de 20 pessoas morreram recentemente e que muita gente tem sido forçada a se esconder dos ataques.
© Sputnik / Aleksei Kudenko / Abrir o banco de imagensCasas destruídas após combates em Solino, República Popular de Donetsk
Casas destruídas após combates em Solino, República Popular de Donetsk - Sputnik Brasil, 1920, 06.03.2022
Casas destruídas após combates em Solino, República Popular de Donetsk
Além do perigo de vida, o cidadão turco falou da frequente falta de eletricidade, água e de produtos nas lojas, particularmente entre 2014 e 2016, apesar de a situação ter melhorado ligeiramente desde então.

"Temos 20-25 famílias [turcas] vivendo aqui. Nenhum de nós pode ver canais televisivos turcos, eles mostram todos propaganda favorecendo a Ucrânia. Quando ligo seus programas, fico imediatamente nervoso e a minha pressão aumenta. Fomos sujeitos a bombardeios e ataques primeiro com [o presidente Pyotr] Poroshenko, e agora pelo [presidente Vladimir] Zelensky. Nenhum deles alguma vez cumpriu os acordos de Minsk", apontou ele sobre os acordos de cessar-fogo.

Segundo a testemunha, o público turco não está a par dos problemas diários das pessoas em Donbass, e a mídia ocidental está distorcendo a realidade.
© Sputnik / Aleksei KudenkoIgreja cristã ortodoxa destruída em Novoignatievka, República Popular de Donetsk
Igreja cristã ortodoxa destruída em Novoignatievka, República Popular de Donetsk - Sputnik Brasil, 1920, 06.03.2022
Igreja cristã ortodoxa destruída em Novoignatievka, República Popular de Donetsk
"Quero me dirigir à mídia turca. A mídia conta muitas mentiras. Muitos civis morreram aqui. Não é preciso mentir, digam a verdade sobre o que está passando aqui", exortou.
O entrevistado referiu que, como outros moradores locais turcos, ele quer visitar a Turquia, mas há muita burocracia e vários perigos pelo caminho.
© Sputnik / Valery MelnikovCasa residencial destruída em Schastie, República Popular de Lugansk
Casa residencial destruída em Schastie, República Popular de Lugansk - Sputnik Brasil, 1920, 06.03.2022
Casa residencial destruída em Schastie, República Popular de Lugansk
"Para chegar à Turquia, você tem primeiro de ir ao território ucraniano", explicou.
"Nós fomos mantidos lá por dois dias. Visto que eles consideram terroristas toda a gente que vive em Donbass, primeiro nós fomos interrogados. Alguns foram liberados passadas poucas horas, outros foram mantidos por dois ou três dias, então é muito difícil para nós chegar primeiro daqui à Ucrânia e a partir daí à Turquia, e depois regressar a casa é ainda mais difícil. Temos suportado isto durante oito anos."
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала