Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Lavrov: Não podemos permitir que haja uma ameaça de ataque direto contra Rússia a partir da Ucrânia

© Sputnik / Pavel BednyakovChanceler russo, Sergei Lavrov, durante coletiva de imprensa após reunião com o secretário de Estado, Antony Blinken, em Genebra, 21 de janeiro de 2022
Chanceler russo, Sergei Lavrov, durante coletiva de imprensa após reunião com o secretário de Estado, Antony Blinken, em Genebra, 21 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 03.03.2022
Nos siga noTelegram
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, realiza nessa quinta-feira (3) uma coletiva de imprensa com jornalistas russos e estrangeiros para falar sobre as tensões na Ucrânia.
O ministro russo observou que o país não pode permitir que haja uma ameaça de ataque contra a Rússia.
"Não podemos permitir que haja uma ameaça de ataque direto contra a Rússia a partir da Ucrânia", enfatizou.
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, afirmou ter a certeza de que a histeria do Ocidente devido à Ucrânia é passageira.
Bandeiras da Ucrânia e da OTAN (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 02.03.2022
Panorama internacional
MRE russo: promessa da OTAN de aderir Ucrânia à aliança é 'bomba' que pode detonar a qualquer hora

Tensão na Ucrânia

Lavrov também ressaltou que a Rússia está pronta para dialogar com os países ocidentais desde que os interesses dos dois lados sejam tidos em conta.
"Estou certo de que o mundo está ouvindo a Rússia. É difícil dizer o quanto nos ouvem. Acredito que a maioria entende o que está em jogo, mas é obrigada a seguir as ordens mais severas", afirmou Lavrov.
O ministro ainda afirmou crer que a solução para a crise na Ucrânia será encontrada e que ocorrerão negociações.
"Claro que uma solução será encontrada. Não tenho dúvidas. As condições são mínimas e bem conhecidas, estão sendo discutidas, inclusive nas negociações com os ucranianos, como em Gomel, e como deve ocorrer hoje", ressaltou.
Tanque T-72B3 na estrada perto da fronteira com a Ucrânia, na região russa de Belgorod - Sputnik Brasil, 1920, 03.03.2022
Panorama internacional
Exército russo toma medidas para garantir a segurança da população civil da Ucrânia, diz Defesa

Guerra nuclear

De acordo com Lavrov, a Rússia não está conduzindo sua política através do princípio de "escalar e desescalar", e que a possibilidade de uma guerra nuclear está sendo comentada, mas não pela Rússia. Quem está comentando isso é a OTAN e a Ucrânia, disse.
O ministro russo reforçou que o tema sobre uma Terceira Guerra Mundial ou guerra nuclear é usado pelo Ocidente para apoiar a russofobia.
Lavrov enfatizou ter a certeza de que há planos de guerra sendo elaborados contra a Rússia.

Diálogo com OTAN

Um diálogo com a OTAN e com o Ocidente pode ocorrer a qualquer momento, e a Rússia estará pronta para isso, afirmou Lavrov.
"Estamos sempre prontos para um diálogo mas sob uma condição obrigatória: na base da reciprocidade, respeito e consideração pelos interesses de todos", afirmou.
Entretanto, o ministro destacou que a operação especial é uma decisão forçada:
"Porque eles não nos ouviram [no Ocidente] e nos mentiram durante os últimos 30 anos, desde 1991", disse. "A operação está em curso e tem seus objetivos claros. Eles foram indicados".
Segundo ele, o Ocidente tenta usar a Ucrânia como pretexto e cria problemas para a Rússia a fim de não permitir que o país tenha uma política independente.
Lavrov lamentou as mortes durante as operações, mas ressaltou que, durante os últimos oito anos de conflito em Donbass, milhares de pessoas já morreram.
"Mais uma vez quero dizer: é ruim, muito ruim que morram pessoas. Mas eu penso não no fiasco diplomático, mas sim no talento diplomático do Ocidente. Milhares de pessoas morreram, cerca de 14 mil pessoas morreram durante a guerra em Donbass", disse.
Segundo o ministro russo, verdadeiros assassinos estão lutando ao lado do regime de Kiev.
Segundo ele, o Ocidente tenta fechar quase todas as fontes de informação da Rússia sobre a situação na Ucrânia, em especial, como os nacionalistas ucranianos se comportam ao recuar.
O presidente ucraniano Vladimir Zelensky fala durante uma entrevista à Reuters, em Kiev, Ucrânia, 1º de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 01.03.2022
Panorama internacional
Biden e Zelensky fazem ligação telefônica e discutem sanções e ajuda dos EUA à defesa da Ucrânia
Lavrov informou que a Ucrânia prometeu apresentar sua posição na rodada de negociações desta quinta-feira (3), contudo não exclui a influência dos EUA.
"Estamos prontos para falar, mas vamos continuar nossa operação porque não podemos permitir que na Ucrânia permaneça infraestrutura que ameace a segurança da Rússia", disse Lavrov. Ele destacou que a operação da Ucrânia, no sentido de eliminação da infraestrutura ameaçadora, será levada até o fim.
Um acordo de paz entre Rússia e Ucrânia deverá incluir uma cláusula sobre a eliminação das armas que ameaçam Moscou.
Lavrov também saudou os esforços do presidente da França, Emmanuel Macron, na mediação da questão ucraniana. "O presidente [da Rússia, Vladimir Putin] lhe explicou várias vezes como nós vemos as formas de resolver a situação atual", disse o chanceler russo.

Sanções contra Rússia

Ainda segundo o ministro, os países que proibiram suas empresas de trabalhar na Rússia fizeram isso sob grande pressão e a única coisa que eles querem fazer é "punir a Rússia da máxima forma possível".
"Com certeza, isso afeta a economia, a esfera social. Mas lhes asseguro: vamos resolver todos esses problemas que o Ocidente nos está criando", disse.
"Se quiserem, as sanções são uma espécie de imposto sobre a independência", disse.
A Rússia não vai se submeter, não vai fazer acordos sob "diktat" de ninguém, adicionou ministro: "Devem se lembrar de nossa história, nunca houve nada disso"
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала