Pessoas usando máscaras de proteção caminham por rua em Paris, França, 27 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Sociedade e cotidiano
As principais notícias, reportagens e artigos sobre sociedade e a rotina cotidiana.

NASA detecta compostos orgânicos em cratera no maior corpo celeste do cinturão de asteroides (FOTO)

© Foto / NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDASuperfície de Ceres em cores imaginadas
Superfície de Ceres em cores imaginadas - Sputnik Brasil, 1920, 25.02.2022
Nos siga noTelegram
Usando câmera de enquadramento (FC) e espectrômetro visível e infravermelho (VIR) a bordo da nave espacial Dawn da NASA, pesquisadores detectaram resíduos de salmouras brilhantes e compostos orgânicos na bacia de Urvara, uma das maiores estruturas de impacto no planeta anão Ceres.
Os resultados do estudo reforçam a hipótese de que Ceres é e tem sido um mundo geologicamente ativo mesmo em épocas recentes, com sais e material rico em compostos orgânicos desempenhando um papel importante em sua evolução.
Com um diâmetro de 940 km, Ceres é o maior objeto no cinturão de asteroides localizado entre Marte e Júpiter.
Achados da missão Dawn sugerem que o interior de Ceres consiste de uma fina camada de depósito de regolito, uma crosta que contém um oceano antigo, uma camada de salmoura na transição entre crosta e o manto e um manto inferior seco.
Com 170 km de largura, a bacia de Urvara é a terceira maior estrutura de impacto em Ceres. É considerado que o impacto que formou esta bacia há cerca de 250 milhões de anos expôs material de profundidades de até 50 km.
© Foto / NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDABacia de Urvara no planeta anão Ceres localizado no cinturão de asteroides
Bacia de Urvara no planeta anão Ceres localizado no cinturão de asteroides 
 - Sputnik Brasil, 1920, 24.02.2022
Bacia de Urvara no planeta anão Ceres localizado no cinturão de asteroides
"Nossa análise aponta que diferentes áreas da cratera têm idades muito diferentes", disse doutor Nico Schmedemann, um pesquisador do Instituto de Planetologia da Universidade de Munster, acrescentando que "a diferença de idades é de até 100 milhões de anos".
Nesta área ressurgida, uma escarpa no solo exibe um padrão de fluxo granular de material brilhante (sais), mostrando espectros consistentes com a presença de material orgânico, aponta portal Sci-News.
Este planeta anão é um sobrevivente do período mais antigo da formação do Sistema Solar e, portanto, a pesquisa detalhada sobre o seu interior proporciona uma compreensão fundamental sobre a formação e evolução de embriões planetários que se originaram do disco protoplanetário.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала