Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Acordos de Minsk são marco para solução negociada na Ucrânia, diz embaixador do México na ONU

© AFP 2022 / Spencer PlattReunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas para discutir a situação entre da Ucrânia, em 31 de janeiro de 2022, na cidade de Nova York
Reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas para discutir a situação entre da Ucrânia, em 31 de janeiro de 2022, na cidade de Nova York - Sputnik Brasil, 1920, 17.02.2022
Nos siga noTelegram
As tensões no leste da Ucrânia podem chegar ao fim por meio de uma solução negociada no âmbito dos Acordos de Minsk, assinados em 2014 e 2015, afirmou o representante do México no Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU), nesta quinta-feira (17).

"Oito anos após o início do conflito, os acordos de Minsk são o marco para chegar a uma solução negociada. O Grupo de Contato Trilateral e o Formato Normandia oferecem essa possibilidade", disse o representante permanente do México, Juan Ramón de la Fuente, em discurso durante reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre a situação ucraniana.

O embaixador mexicano citou a Carta da ONU, o direito internacional e as resoluções do organismo mundial ao reiterar o "compromisso mexicano de respeitar a soberania, a independência política e a integridade territorial da Ucrânia dentro de suas fronteiras", ressaltando que "o conflito no leste do país teve um sério impacto na população civil".
De la Fuente disse ainda que os ucranianos "enfrentam restrições à sua liberdade de movimento, o que limita o acesso aos serviços de saúde e educação".
Segundo ele, as organizações humanitárias estimam que "quase três milhões de pessoas precisem de assistência humanitária, enquanto um milhão e meio estaria deslocado".
"Substituir a diplomacia pelo confronto implicaria dar um grande salto no vazio. É hora de endossar os esforços internacionais em um único caminho: o da desescalada de tensões, da diplomacia e do diálogo", disse o representante mexicano.
O primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán e o presidente brasileiro Jair Bolsonaro fazem uma declaração conjunta, em Budapeste, Hungria, 17 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 17.02.2022
Panorama internacional
Guerra não interessa a ninguém, diz Bolsonaro sobre Ucrânia após encontro com premiê húngaro (VÍDEO)
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала