Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

MRE russo: histeria do Reino Unido sobre 'invasão' russa se deve a problemas no gabinete de Johnson

© Foto / Russian Foreign Ministry Press Service / AP PhotoA representante do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, durante briefing sobre política externa em Moscou, Rússia, 20 de janeiro de 2022
A representante do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, durante briefing sobre política externa em Moscou, Rússia, 20 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 16.02.2022
Nos siga noTelegram
Governo britânico está passando por uma difícil crise de relações públicas, depois que os investigadores descobriram que Boris Johnson e membros de seu gabinete haviam participado de festas privadas em meio a rigorosas restrições à pandemia de COVID-19 no país.
A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, condenou a contínua histeria em torno de uma suposta "iminente" invasão russa à Ucrânia, impulsionada por funcionários do governo e pela mídia do Reino Unido.
Zakharova sugeriu que parte da razão pela qual Londres continua a vender essa alegação é porque o gabinete do primeiro-ministro, Boris Johnson, está enfrentando problemas "em casa".
"Pedimos aos países ocidentais que parem de incitar a histeria anti-Rússia, que na verdade já se tornou anti-Ucrânia; pedimos que parem de enviar armas para Kiev. Essas ações têm um impacto negativo tanto na solução do conflito em Donbass quanto na situação geral no campo da segurança e estabilidade da Europa", disse Zakharova.
A representante pediu ainda que a mídia e os políticos ocidentais parassem de espalhar falsas informações sobre uma "iminente" invasão e suas supostas datas, pois afeta gravemente o estado psicológico e a moral das pessoas, principalmente entre os ucranianos.
Trem de carga na ponte da Crimeia, Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 16.02.2022
Através da ponte da Crimeia, militares russos regressam às suas bases após exercícios (VÍDEO)
Zakharova também pediu à secretária de Relações Exteriores do Reino Unido, Liz Truss, que se desculpasse por suas alegações de uma "iminente" invasão russa depois que ela não se concretizou nesta quarta-feira (16), para grande decepção da mídia ocidental, que havia afirmado ser este o dia do ataque.
"Toda essa histeria permite [que o Ocidente] distraia a todos do fato de Kiev falhar em cumprir [os acordos de Minsk]. Também resolve os problemas políticos domésticos que a equipe do primeiro-ministro [do Reino Unido] Boris Johnson enfrenta agora", disse Zakharova.
A representante do Ministério das Relações Exteriores da Rússia apontou que o escândalo que se desenrola sobre a participação em festas de membros do gabinete de Johnson durante as restrições por conta da pandemia COVID-19, pode custar ao primeiro-ministro seu cargo. Zakharova sugeriu que, ao provocar histeria na Ucrânia, Londres está tentando encontrar uma "força externa" para mudar o foco do escândalo doméstico.

Falha na previsão

Zakharova passou a criticar os tabloides britânicos The Sun, Mirror, e a emissora norte-americana Fox News, por mentirem para seu público sobre suposta hora e data da invasão russa à Ucrânia.
As primeiras alegações sobre uma invasão russa ocorrer nesta quarta-feira (16) começaram a surgir na mídia norte-americana na semana passada. As afirmações infundadas foram parcialmente apoiadas por políticos dos EUA que alegaram que um ataque poderia acontecer a qualquer dia, apesar dos mesmos políticos admitirem que não tinham como saber a data exata.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала