Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Consulado Geral da Rússia em NY é reduzido para 5 funcionários; 'Política de Washington', diz cônsul

© Sputnik / Maksim Blinov / Abrir o banco de imagensBandeiras russa e norte-americana na embaixada dos EUA em Moscou, Rússia
Bandeiras russa e norte-americana na embaixada dos EUA em Moscou, Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 10.02.2022
Nos siga noTelegram
O Consulado Geral da Rússia em Nova York possui apenas cinco funcionários, "pela primeira vez na história, devido à política de Washington", disse o cônsul-geral russo na cidade norte-americana, Sergei Ovsyannikov.

"No final de janeiro, cinco famílias partiram. Um total de quatro pessoas [sem contar o cônsul] permanecem", afirmou Ovsyannikov à Sputnik. "Pela primeira vez, não temos seguranças no Consulado Geral. Isso é gritante", acrescentou.

Segundo ele, apesar das recentes expulsões de diplomatas russos determinadas pelo governo dos EUA, "a missão continuará a desempenhar plenamente suas funções".
Ovsyannikov também destacou que, há quase um ano, os EUA rejeitam o visto de seu sucessor no Consulado Geral em Nova York.
Por isso, ele afirma que não é possível descartar a hipótese de que a missão diplomática também fique sem cônsul em algum momento. "Anatoly Kargapolov não tem visto", confirmou.
A previsão inicial era que o diplomata substituísse o atual cônsul em Nova York em maio de 2021.
No final de outubro do ano passado, a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, anunciou que os EUA exigiram que 55 diplomatas e trabalhadores técnico-administrativos da embaixada e consulados gerais russos abandonassem o país.

"Tendo em conta as exigências de Washington para que mais 55 diplomatas e trabalhadores técnico-administrativos nossos deixem os EUA nos próximos meses, e isso é basicamente uma expulsão, a situação na frente diplomática apenas se agravará", comentou Zakharova na ocasião.

O presidente russo Vladimir Putin, à direita, observa o presidente francês Emmanuel Macron chegando para uma entrevista coletiva após suas conversas, segunda-feira, 7 de fevereiro de 2022 em Moscou - Sputnik Brasil, 1920, 09.02.2022
Panorama internacional
Macron e Scholz tentam reduzir intromissão dos EUA nos assuntos da UE ao irem à Rússia, diz analista
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала