Pessoas usando máscaras de proteção caminham por rua em Paris, França, 27 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Sociedade e cotidiano
As principais notícias, reportagens e artigos sobre sociedade e a rotina cotidiana.

'IA Babá': novo robô chinês pode cultivar embriões em útero artificial, mais eficiente que humanos

© Foto / DrKontogianniIVFMicrofertilização embrionária (Imagem de referência)
Microfertilização embrionária (Imagem de referência) - Sputnik Brasil, 1920, 08.02.2022
Nos siga noTelegram
A tecnologia da ectogênese não é nova para a ciência, que tem visto vários experimentos envolvendo o nascimento bem-sucedido de animais extrauterinos. Apesar dos experimentos com embriões humanos serem proibidos, a possibilidade do parto artificial total trouxe alertas de que ele poderia mudar completamente nossa realidade.
Cientistas chineses desenvolveram um sistema de robô com inteligência artificial (IA) que cuida de embriões em úteros artificiais com eficiência inatingível por humanos. Seu principal objetivo é facilitar o cultivo de embriões animais para fins científicos, mas em teoria tal inovação pode ser utilizada para embriões humanos, segundo estudo publicado na Journal of Biomedical Engineering.
Cientistas do Instituto de Engenharia e Tecnologia Biomédica de Suzhou já testaram o funcionamento do robô em embriões de camundongos. O útero artificial do instituto é composto por vários recipientes com uma mistura de nutrientes nos quais os embriões são colocados. Anteriormente, os pesquisadores precisavam rastrear e documentar manualmente a condição dos embriões e ajustar a operação do robô.
A babá robô com IA consegue monitorar os embriões 24 horas por dia, capturando imagens ultraclaras deles por meio de um sistema de sensores e lentes, além de regular em tempo real a temperatura, o suprimento de ar, a água e a nutrição. A IA também indica quais embriões se desenvolvem incorretamente ou morrem para que possam ser removidos do útero artificial em tempo útil.
Os pesquisadores esperam que a tecnologia ajude no estudo do desenvolvimento fetal e na formação de defeitos congênitos.
'Robô cirurgião' Star em funcionamento - Sputnik Brasil, 1920, 27.01.2022
Sociedade e cotidiano
Medicina do futuro: 'robô cirurgião' realiza procedimento em porcos sem ajuda humana
Cientistas de todo o mundo fizeram progressos tangíveis na criação de um útero artificial completo. Em 2019, pesquisadores de Pequim conseguiram levar um óvulo de macaco fertilizado ao estágio de formação de órgãos sem o corpo da mãe. Biólogos israelenses também cultivaram com sucesso embriões de camundongos até a metade do período de gestação.
No entanto, os ensaios clínicos envolvendo bebês humanos estão muito distantes, de acordo com especialistas. Atualmente, a tecnologia do útero artificial é vista como ferramenta para enfrentar a prematuridade, não mantendo os bebês em ambiente aberto, mas em condições que simulem um útero. Ainda assim, há muita pesquisa necessária para implementar tais inovações.
"Qualquer um que lhe diga que vai fazer isso em dois anos ou tem uma grande quantidade de dados que não são de domínio público ou está sendo um pouco sensacionalista", disse o chefe do laboratório perinatal da Fundação de Pesquisa para Mulheres e Bebês (WIRF, na sigla em inglês) na Austrália Ocidental, Matt Kemp. "Todos os experimentos até agora foram feitos em fetos que vêm de gestações saudáveis."
Segundo ele, "simplesmente este não é o caso de um feto humano de 21 ou 22 semanas. Estes não serão bebês saudáveis. Colocar isso em uso clínico será incrivelmente difícil".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала