China supera EUA em tecnologia de IA para combates aéreos de drones, indica estudo

© AFP 2022 / Wang ZhaoDrone furtivo chinês CH-7
Drone furtivo chinês CH-7 - Sputnik Brasil, 1920, 01.02.2022
Nos siga noTelegram
O sistema desenvolvido pelos pesquisadores chineses pode ensinar drones a vencer os combates aéreos de forma mais rápida que a tecnologia norte-americana análoga.
Os pesquisadores chineses anunciaram o desenvolvimento de um sistema de inteligência artificial que pode ensinar os drones militares a vencer os combates mil vezes mais rápido que a tecnologia norte-americana análoga, informa o jornal South China Morning Post.
A maior velocidade de processamento de dados ajudaria as aeronaves não tripuladas a identificar "manobras evasivas", reduzir a sobrecarga do computador de bordo e a superar os oponentes em combates aéreos, revela um estudo do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Aerodinâmico da China em Mianyang, na província de Sichuan.
Satélite espacial orbitando a Terra (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 30.01.2022
Panorama internacional
Satélite chinês teria 'agarrado e retirado' outro aparelho espacial da órbita, aponta portal
Durante os treinamentos, o novo algoritmo chinês foi capaz de reagir mais rápido que o operador. Diferentemente do programa norte-americano, que requereu para a aprendizagem quatro bilhões de combates simulados, o sistema chinês precisou de apenas 800 mil simulações para vencer a maioria de seus combates.
Segundo Huang Jiangtao, autor principal do estudo, o foco tradicional de aprendizado automático é ineficiente, e os bons resultados foram obtidos mediante a um sistema de inteligência artificial que seleciona unicamente os melhores resultados para a próxima rodada.
Simulação gráfica fornecida que mostra a combinação do orbitador-retornador da sonda Chang'e-5, da China. A sonda transferiu rochas da Lua para o orbitador em preparação para o retorno com as amostras para  a Terra. - Sputnik Brasil, 1920, 28.01.2022
Panorama internacional
China apresenta suas metas na corrida para ser a potência espacial nº 1
O estudo indica que a atual defesa aérea da China é vulnerável aos drones norte-americanos que utilizam tecnologia furtiva de última geração, o que poderia paralisar os sistemas de comando centralizados do Exército chinês.
Em resposta, os chineses começaram a descentralizar algumas de suas forças de combate para garantir a flexibilidade ante um possível ataque dos EUA.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала