Trabalhador da saúde segura seringa em ponto de vacinação contra a COVID-19 em loja de departamentos GUM de Moscou, Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Propagação e combate à COVID-19
Informações atuais sobre a dissimilação de coronavírus no Brasil e no mundo. Fique por dentro das principais notícias sobre o tema.

Brasil tem 767 mortes por COVID-19 em 24h e média de óbitos passa de 600

© Folhapress / Eduardo AnizelliEm São Paulo, uma equipe médica atende um paciente de COVID-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em 16 de abril de 2020
Em São Paulo, uma equipe médica atende um paciente de COVID-19 no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em 16 de abril de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 01.02.2022
Nos siga noTelegram
Nesta terça-feira (1º), o Brasil registrou 767 novas mortes por COVID-19 e chegou a um total de 628.132 óbitos. Com 171.028 novos casos detectados da doença, o país chegou a uma média de 194 mil casos diários, interrompendo 14 dias de recordes consecutivos no indicador.
Conforme os dados do consórcio dos veículos de imprensa, com base em informações das secretarias estaduais de Saúde, a média móvel de mortes chegou a 604 óbitos diários no país, com variação positiva de 181% em relação a 14 dias atrás. A tendência continua sendo de alta e a média registrada é a maior desde o dia 5 de setembro de 2021.
Os dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde são ainda mais altos, apontando 929 mortes por COVID-19 nesta terça-feira (1º), a mesma informação apontada pelo painel do Ministério da Saúde.
Ainda segundo os dados do consórcio dos veículos de imprensa, a média diária de casos chegou a 184.437 infecções. A média móvel segue em alta com variação positiva de 84%. O Brasil acumula 25.625.133 casos da doença.
No início de 2021, as infecções por COVID-19 dispararam no Brasil devido à alta transmissibilidade da variante Ômicron do novo coronavírus, que consegue contaminar vacinados. Especialistas também apontam a redução do uso de máscaras e da prática do distanciamento social como fatores de influência no aumento de casos.
© REUTERS / Carla CarnielCriança recebe dose de vacina Coronavac contra a COVID-19 e, São Paulo, Brasil, 20 de janeiro de 2022
Criança recebe dose de vacina Coronavac contra a COVID-19 e, São Paulo, Brasil, 20 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 01.02.2022
Criança recebe dose de vacina Coronavac contra a COVID-19 e, São Paulo, Brasil, 20 de janeiro de 2022
A média de mortes no Brasil segue em queda apenas no estado de Tocantins. Acre, Pará e Rondônia seguem em estabilidade, enquanto o restante das unidades federativas registra alta na média de mortes.
A vacinação no país continua e 76,94% da população brasileira recebeu a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus, enquanto a segunda dose chegou a 69,65% dos brasileiros. A dose de reforço foi aplicada em 21,49% da população. Já entre as crianças de cinco a 11 anos, apenas 9,43% estão vacinadas.
Conforme informações do consórcio dos veículos de imprensa, seis estados não divulgaram dados sobre a vacinação nesta terça-feira (1º).
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала