Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

China diz que EUA devem levar a sério as preocupações de segurança da Rússia

© Sputnik / Ministério das Relações Exteriores da RússiaEm Guilin, na China, o chanceler chinês Wang Yi participa de coletiva de imprensa, após encontro com o seu homônimo russo, Sergei Lavrov, em 23 de março de 2021
Em Guilin, na China, o chanceler chinês Wang Yi participa de coletiva de imprensa, após encontro com o seu homônimo russo, Sergei Lavrov, em 23 de março de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 28.01.2022
Nos siga noTelegram
O ministro das Relações Exteriores chinês enfatizou que a segurança de um país não pode ser alcançada em detrimento da segurança de outra nação.
O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, conversou por telefone com o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, na quinta-feira (27), enfatizando que as preocupações de segurança da Rússia devem ser "levadas a sério e resolvidas".
O ministro encorajou "todas as partes a manterem a calma e se absterem de ações que agravem a tensão e aumentem a crise", segundo o comunicado oficial.

"Hoje, no século XXI, todas as partes devem abandonar completamente a mentalidade da Guerra Fria e criar um mecanismo equilibrado, eficaz e sustentável de segurança europeia por meio de negociações", enfatizou Wang Yi.

A autoridade destacou ainda que a segurança de um país não pode ser alcançada em detrimento da segurança de outro, e que a segurança regional "não pode ser garantida pelo fortalecimento ou expansão dos blocos militares".
Um dançarino em traje nacional ucraniano se apresenta durante a cerimônia de abertura dos exercícios militares Rapid Trident (tridente rápido), 15 de setembro de 2014, perto da cidade ucraniana ocidental de Yavorov
 - Sputnik Brasil, 1920, 27.01.2022
Panorama internacional
General aposentado dos EUA pede à OTAN que mantenha Ucrânia de fora em nome da paz
Nesta quarta-feira (26), o embaixador dos EUA na Rússia, John Sullivan, entregou ao Ministério das Relações Exteriores da Rússia as respostas escritas às propostas de garantias de segurança formuladas em meados de dezembro por Moscou. Logo depois, o secretário de Estado, Antony Blinken, e o secretário-geral da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) Jens Stoltenberg deram a entender que não aceitam as exigências de Moscou para acabar com a política de "portas abertas" da aliança, mesmo quando se trata de países vizinhos da Rússia.
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse na quinta-feira (27) que a resposta dos EUA não representa uma "reação positiva" à questão principal: a não expansão da OTAN para leste e a implantação pela Aliança Atlântica de armas ofensivas que podem ameaçar o território russo.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала