Pessoas usando máscaras de proteção caminham por rua em Paris, França, 27 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Sociedade e cotidiano
As principais notícias, reportagens e artigos sobre sociedade e a rotina cotidiana.

Novas imagens revelam misteriosas estruturas no 'coração da Via Láctea' (FOTOS)

© Foto / I. Heywood, SARAOTelescópio na África do Sul conseguiu fotografar o centro da Via Láctea em grande detalhe
Telescópio na África do Sul conseguiu fotografar o centro da Via Láctea em grande detalhe - Sputnik Brasil, 1920, 27.01.2022
Nos siga noTelegram
Os cientistas utilizaram o radiotelescópio MeerKAT, na África do Sul, para registrar as impressionantes imagens da nossa galáxia.
Com os novos dados, os astrônomos conseguiram visualizar que a Via Láctea possui quase 1.000 fios de filamentos magnéticos que medem até 150 anos-luz de comprimento e estão posicionados de maneira organizada.
O novo estudo foi publicado nesta semana na revista científica The Astrophysical Journal Letters. A descoberta foi comemorada por membros da comunidade científica nas redes sociais, como o ex-astrônomo da NASA e atual pesquisador da Agência Espacial Japonesa James O'Donoghue.
Recém-divulgadas imagens do centro da nossa galáxia! Você está vendo emissões de rádio que escaparam a região central da nossa galáxia, nos possibilitando ver estrelas explodindo, o nascimento de estrelas e todo o caos em volta do centro de um buraco negro supermassivo de massa 4 milhões de vezes maior que a do Sol!
Desde a descoberta dos filamentos magnéticos, em 1980, os cientistas não contavam com a existência de tantos. Os cálculos feitos até então apontavam para no máximo 100 filamentos magnéticos.

"Agora nós finalmente conseguimos ver o quadro geral, uma vista panorâmica preenchida com uma abundância de filamentos. Ao examinar poucos filamentos, é difícil chegar a alguma conclusão real sobre o que eles são e de onde vêm. Este é um divisor de águas para aprofundar nossa compreensão dessas estruturas", disse o astrofísico Farhad Yusef-Zadeh, que foi quem inicialmente descobriu os filamentos.

Os cientistas disseram que ainda não conseguiram entender completamente o que são os filamentos, nem para que servem, mas estão confiantes que com essas novas imagens estão chegando cada vez mais perto de uma grande descoberta sobre a origem e o funcionamento da nossa galáxia.

"Se você fosse de outro planeta, por exemplo, e você encontrasse uma pessoa muito alta na Terra, você poderia assumir que todas as pessoas são altas. Mas se você fizer estatísticas através de uma população de pessoas, você consegue determinar a altura média. É exatamente isso que estamos fazendo. Nós podemos descobrir a força dos campos magnéticos, seu comprimento, sua orientação e o espectro de radiação", explicou Yusef-Zadeh.

A imagem foi construída a partir de um mosaico de 20 diferentes observações utilizando cerca de 200 horas de gravações no telescópio e cobrindo uma área 30 vezes superior à da Lua. Para chegar à imagem final, mais de 70 terabytes de dados foram analisados em um supercomputador na Cidade do Cabo, na África do Sul.
Este estudo vem sendo desenvolvido há três anos, logo depois do início do funcionamento do radiotelescópio sul-africano.
O telescópio MeerKAT é equipado com 64 placas de rádio e foi inaugurado em 2018, após 10 anos de estudos e testes. O gigante equipamento faz parte do Observatório Sul-Africano de Radioastronomia (SARAO, na sigla em inglês).
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала