Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta terça-feira, 25 de janeiro

© REUTERS / Casa BrancaPresidente dos EUA, Joe Biden, fala com líderes europeus a partir da Casa Branca, Washington, 24 de janeiro de 2022
Presidente dos EUA, Joe Biden, fala com líderes europeus a partir da Casa Branca, Washington, 24 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 25.01.2022
Nos siga noTelegram
Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta terça-feira (25), marcada pela reunião virtual entre Biden e líderes europeus, pela disponibilidade anunciada pelos EUA de negociar diretamente com o Irã e pelas declarações do embaixador russo sobre a aliança energética entre Rússia e China.

Com vacinação em massa, cidade no Ceará não registra óbitos por COVID-19 por 7 meses

A cidade cearense de Guaramiranga demonstrou o sucesso da campanha de imunização contra a COVID-19: a cidade não registra qualquer morte desde junho de 2021, enquanto o único hospital de Guaramiranga passou meio ano sem nenhum internado por COVID-19. Entre os cerca de 5 mil habitantes da cidade, 96% dos adultos tomaram duas doses da vacina e 25% foram imunizados com a dose de reforço, segundo o portal G1. Vale destacar que o Brasil confirmou mais 267 mortes e 90.509 casos de COVID-19, totalizando 623.412 óbitos e 24.134.946 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa. Além disso, a ministra do STF, Rosa Weber, enviou ontem (24) para análise da PGR um pedido de investigação do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Saúde Marcelo Queiroga. A ação aponta que eles dificultam a vacinação infantil.
© REUTERS / CARLA CARNIELVacinação infantil em São Paulo, 17 de janeiro de 2022
Vacinação infantil em São Paulo, 17 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 25.01.2022
Vacinação infantil em São Paulo, 17 de janeiro de 2022

STF concede prisão domiciliar para Roberto Jefferson

Nesta segunda-feira (24), o ministro do STF Alexandre de Moraes aprovou a prisão domiciliar para o ex-deputado federal Roberto Jefferson, que até então cumpria prisão preventiva. A informação foi confirmada ao portal UOL pelo advogado de Jefferson. Em 18 de janeiro, o ex-presidente do PTB foi liberado provisoriamente para fazer exames no hospital, devido à infecção pela COVID-19 pela segunda vez e outras complicações de saúde. Segundo a defesa do político, ele sofre risco de vida na prisão. Além de autorizar a prisão domiciliar, Moraes determinou que o ex-deputado deve usar tornozeleira eletrônica, regularmente se apresentar à Justiça e não ter ligações com outros investigados. No caso de descumprimento das regras, Jefferson pode ser detido novamente. O ex-deputado está detido desde agosto de 2021 por suspeita de envolvimento com uma milícia digital contra a democracia.
© Folhapress / Igo EstrelaEx-deputado Roberto Jefferson Monteiro Francisco, na sede do partido em Brasília
Ex-deputado Roberto Jefferson Monteiro Francisco, na sede do partido em Brasília  - Sputnik Brasil, 1920, 25.01.2022
Ex-deputado Roberto Jefferson Monteiro Francisco, na sede do partido em Brasília

Biden avalia que encontro virtual com líderes europeus sobre Ucrânia atinge unidade total

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que sua reunião virtual com os líderes europeus nesta segunda-feira (24) sobre a situação entre a Rússia e a Ucrânia mostrou "uma unidade total" entre eles. "Tive um muito, muito bom encontro, unidade total com todos os líderes da Europa", afirmou durante o evento na Casa Branca. A chamada de Biden com a liderança europeia durou uma hora e 20 minutos, durante a qual os lados coordenaram posições em assuntos relacionados com a crise em torno da Ucrânia. Os participantes da reunião incluíram a presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen, o presidente do Conselho Europeu Charles Michel, o presidente francês Emmanuel Macron, o chanceler alemão Olaf Scholz, o premiê italiano Mario Draghi, o secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg, o presidente da Polônia Andrzej Duda e o primeiro-ministro do Reino Unido Boris Johnson. O encontro ocorreu ante o anúncio do Pentágono de que cerca de 8,5 mil soldados norte-americanos foram colocados em "alerta máximo" para serem deslocados para a Europa em caso de agravamento da situação.
© REUTERS / HANNIBAL HANSCHKESecretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, e chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, durante briefing em Berlim, 18 de janeiro de 2022
Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, e chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, durante briefing em Berlim, 18 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 25.01.2022
Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, e chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, durante briefing em Berlim, 18 de janeiro de 2022

Preocupações sobre Ucrânia levam presidente da França a se reunir com chanceler da Alemanha

Hoje, terça-feira (25), o presidente francês, Emmanuel Macron, visita a Alemanha para se encontrar com o chanceler alemão, Olaf Scholz. Os mandatários pretendem discutir a crise ucraniana e a segurança internacional, bem como os assuntos relacionados à economia digital, mudanças climáticas e à presidência da Alemanha do grupo G7. Durante a videoconferência organizada pelo presidente Joe Biden, Emmanuel Macron expressou sua preocupação com a situação nas fronteiras da Ucrânia e articulou a necessidade de trabalhar em direção à atenuação das tensões. Além disso, o Palácio do Elysée informou em comunicado que o presidente terá reuniões em breve com o presidente russo Vladimir Putin e o líder ucraniano Vladimir Zelensky e "permanece determinado a utilizar todos os recursos da diplomacia para preservar a estabilidade na Europa, bem como para demonstrar a solidariedade e disponibilidade para apoiar os Estados da UE preocupados com a sua segurança".
© REUTERS / Ludovic MarinPresidente francês, Emmanuel Macron, durante visita a centro de saúde em Bourganeuf, França, 24 de janeiro de 2022
Presidente francês, Emmanuel Macron, durante visita a centro de saúde em Bourganeuf, França, 24 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 25.01.2022
Presidente francês, Emmanuel Macron, durante visita a centro de saúde em Bourganeuf, França, 24 de janeiro de 2022

Embaixador: entre Rússia e China se formou uma aliança energética

Atualmente, uma aliança energética já se formou entre a Rússia e a China, bem como um programa amplo de cooperação abrangente no domínio da energia, disse hoje, terça-feira (25) o embaixador da Rússia na China, Andrei Denisov, durante coletiva de imprensa. O embaixador notou que essa cooperação é bastante profunda, inclusive no domínio das energias renováveis. Denisov ressaltou ainda que a energia é "a base da cooperação bilateral". Além disso, ele acentuou que Moscou e Pequim não estão interessados em formar qualquer aliança bilateral militar. Segundo suas palavras, pequenas alianças contra um determinado país, como por exemplo a AUKUS, é "uma jornada rumo ao vazio". O diplomata afirmou que as alianças desse tipo são criadas na base do princípio de "ser amigos contra alguém" e que, no caso da Rússia e da China, tal é "impossível".
© Sputnik / Anna RatkogloEmbaixador da Rússia na China, Andrei Denisov, no local de votação na embaixada em Pequim, 19 de setembro de 2021
Embaixador da Rússia na China, Andrei Denisov, no local de votação na embaixada em Pequim, 19 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 25.01.2022
Embaixador da Rússia na China, Andrei Denisov, no local de votação na embaixada em Pequim, 19 de setembro de 2021

EUA prontos para se reunir com Irã a fim de avançar negociações sobre JCPOA

Washington está pronta para se reunir diretamente com Teerã para avançar nas negociações em curso sobre o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), contou o representante do Departamento de Estado americano à Sputnik, na segunda-feira (24). Antes, no mesmo dia, o chanceler iraniano Hossein Amirabdollahian anunciou que Teerã pode efetuar conversas diretas se isso ajudar a atingir um melhor acordo. "Estamos prontos para nos encontrarmos diretamente. Há muito que defendemos a posição de que seria mais produtivo se nos envolvêssemos com o Irã diretamente, tanto nas consultas a respeito do JCPOA como em outros assuntos. Isso estende-se aos formatos bilaterais e multilaterais", segundo o representante. Ele acrescentou ainda que a reunião direta permitiria uma comunicação mais eficiente entre os EUA e o Irã, algo urgentemente necessário para chegar a um entendimento sobre o retorno mútuo aos compromissos do JCPOA.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала