Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
Trabalhador da saúde segura seringa em ponto de vacinação contra a COVID-19 em loja de departamentos GUM de Moscou, Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Propagação e combate à COVID-19
Informações atuais sobre a dissimilação de coronavírus no Brasil e no mundo. Fique por dentro das principais notícias sobre o tema.

Maioria vota contra prescrição médica em consulta pública do governo sobre vacinação de crianças

© AP Photo / Michel EulerUma profissional da saúde administra uma dose da vacina Pfizer contra a COVID-19 em uma criança de oito anos, em Saint-Quentin-en-Yvelines, a oeste de Paris, na França, no dia 22 de dezembro de 2021
Uma profissional da saúde administra uma dose da vacina Pfizer contra a COVID-19 em uma criança de oito anos, em Saint-Quentin-en-Yvelines, a oeste de Paris, na França, no dia 22 de dezembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 04.01.2022
Nos siga no
O governo federal anunciou, nesta terça-feira (4), que a maioria das pessoas que responderam à consulta pública sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 anos votou contra a necessidade de receita médica para a imunização da faixa etária.
O resultado foi anunciado pela secretária extraordinária de enfrentamento à COVID-19, a médica Rosana Leite de Melo, durante audiência pública da pasta para discutir o tema. A profissional, no entanto, não divulgou os números exatos de quantos foram a favor e contra a prescrição defendida pelo governo Bolsonaro.
Ela informou apenas que 99.309 pessoas responderam à pesquisa. Na véspera, o Ministério da Saúde havia informado que cerca de 24 mil pessoas participaram da consulta.
A confusão se deu porque a plataforma escolhida para receber as respostas não suportou a quantidade de dados. Com isso, o governo precisou criar uma nova página para processar as demais respostas.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a imunização de crianças de 5 a 11 anos no dia 16 de dezembro. Porém, o Ministério da Saúde, em linha com o presidente Jair Bolsonaro, protelou o início da vacinação para este ano, utilizando a consulta pública como justificativa para o adiamento.
A Anvisa informou que não participaria da audiência pública convocada pelo governo, nesta terça-feira (4), pois já deu seu aval sobre o tema no mês passado.
Em Osasco, no estado brasileiro de São Paulo, uma mulher é vacinada contra a COVID-19 enquanto segura um bebê, em 3 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 04.01.2022
Propagação e combate à COVID-19
Brasil tem 74 mortes por COVID-19 e vacinação chega a 67,3% da população
Ao anunciar o resultado da consulta pública, o governo também informou que a maioria das pessoas foi contra a obrigatoriedade da vacinação de crianças. No entanto, a pesquisa não permitia votar a favor da obrigatoriedade da vacina na faixa etária.
Isso porque não havia uma pergunta sobre se as pessoas concordavam ou discordavam da vacinação obrigatória. O questionamento da consulta foi a seguinte: "Você concorda com a vacinação em crianças de 5 a 11 anos de forma não compulsória conforme propõe o Ministério da Saúde"?
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil possui aproximadamente 20,5 milhões de crianças de 5 a 11 anos de idade.
Mônica Calazans, enfermeira de 54 anos do Instituto Emílio Ribas, em São Paulo, é a primeira vacinada contra a COVID-19 no Brasil - Sputnik Brasil, 1920, 24.12.2021
Notícias do Brasil
O ano da vacinação: as lições de 2021 em relação à pandemia no Brasil
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала