Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

'Os paulistas não merecem um governo tão medíocre', diz Queiroga a João Dória

© Foto / Antonio Cruz / Agência BrasilO ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, conversa com jornalistas no ministério da Saúde, 18 de dezembro de 2021
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, conversa com jornalistas no ministério da Saúde, 18 de dezembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 23.12.2021
Nos siga no
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga se envolveu em uma discussão nas redes sociais com o governador de São Paulo, João Dória, por causa da vacinação infantil contra a COVID-19 no país.
Enquanto o governo federal segue indeciso sobre o tema, o governo de São Paulo recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para liberar o início imediato da imunização de crianças a partir dos cinco anos.
O ministro da Saúde brasileiro afirmou em entrevista nesta quinta-feira (23) que o patamar de mortes de crianças no Brasil não inspira ações de urgência.
Em uma publicação em suas redes sociais, o governador paulista cobrou uma atitude de Marcelo Queiroga, enfatizando em seguida que já solicitou à Pfizer a compra direta de vacinas para vacinação infantil.
Marcelo Queiroga respondeu e afirmou que o presidente Jair Bolsonaro "foi o responsável por comprar e distribuir cerca de 400 milhões de doses a todos os brasileiros". Ele enalteceu a "diminuição em 90% do número de óbitos" no país.
Em seguida, Queiroga escreve: "Isso é fato. O resto é espuma de quem busca holofotes". O ministro da Saúde ainda disse que Dória quer "reescrever a história".
Nesta quinta-feira (23), o Ministério da Saúde abriu uma consulta pública sobre a vacinação de crianças entre cinco e 11 anos.
A consulta vai ficar aberta até 2 de janeiro para que "sejam apresentadas contribuições, devidamente fundamentadas". A pasta promete uma definição sobre o tema até 5 de janeiro de 2022.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a vacinação. O presidente Jair Bolsonaro é contra e ameaçou divulgar nomes de integrantes da Anvisa que aprovaram a medida.
Na tarde desta quinta-feira (23), em entrevista coletiva, Queiroga foi questionado sobre o assunto, e afirmou que "grande parte dos leigos" que participarão do processo são "pais e mães que têm o direito de opinar".
"Isso vai ser tratado no âmbito técnico do Ministério da Saúde. Não é eleição, é consulta pública. Não há nada de novo nisso, e foi validado pelo STF [Supremo Tribunal Federal]", concluiu, segundo apuração do UOL.
Em São Paulo, o ministro da Saúde brasileiro, Marcelo Queiroga, concede entrevista enquanto estudantes realizam protesto contra, em 25 de março de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 23.12.2021
Propagação e combate à COVID-19
'Sem urgência': mortes de crianças por COVID-19 estão em patamar tolerável, diz Queiroga
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала