Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Exército do Sudão e premiê destituído acordam seu regresso ao poder, segundo mídia

© REUTERS / HANNIBAL HANSCHKEPrimeiro-ministro do Sudão, Abdalla Hamdok
Primeiro-ministro do Sudão, Abdalla Hamdok - Sputnik Brasil, 1920, 21.11.2021
Nos siga no
O Exército do Sudão e o primeiro-ministro destituído, Abdalla Hamdok, acordaram sobre seu regresso ao cargo e sobre a formação de um governo tecnocrático, informou o canal de televisão Sky News Arabia.
"Os militares sudaneses e o primeiro-ministro destituído, Abdalla Hamdok, acordaram uma declaração política que prevê o regresso dele ao cargo e a formação de um governo tecnocrático", diz a mídia citando suas fontes.
Conforme o canal, o acordo prevê ainda a liberação de todos os presos políticos.
O comandante-em-chefe das Forças Armadas e presidente do chamado Conselho Soberano, Abdul Fatah Al-Burhan, e o premiê destituído assinaram oficialmente um acordo político sobre seu regresso.
Em 25 de outubro, após semanas de crescente tensão entre facções rivais e uma série de protestos nas ruas, o Exército do Sudão deteve vários membros do governo, inclusive o premiê Abdalla Hamdok. No dia seguinte, Hamdok foi liberado e regressou à sua residência.
Sudaneses agitam sua bandeira nacional enquanto se reúnem na praça da liberdade durante o primeiro aniversário do início do levante que derrubou o governante de longa data Omar al-Bashir, em Cartum, Sudão, 19 de dezembro de 201 - Sputnik Brasil, 1920, 30.10.2021
Eventos no Sudão não devem ser considerados golpe militar, diz chefe do conselho no poder
Abdul Fatah Al-Burhan anunciou a dissolução desse órgão transitório e do gabinete de Hamdok, assim como a imposição do estado de emergência no Sudão.
Ele garantiu ainda que as forças de segurança continuarão com a transição democrática até a transferência do poder para um governo civil e prometeu organizar eleições em julho de 2023.
O reconstruído Conselho Soberano do Sudão, novamente com Burhan a frente, começou seu trabalho na semana passada.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала