Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta sexta-feira, 12 de novembro

© AP Photo / Andre PennerLucas Paquetá celebra golo na partida com Colômbia, na Arena Corinthians, em São Paulo, 11 de novembro de 2021
Lucas Paquetá celebra golo na partida com Colômbia, na Arena Corinthians, em São Paulo, 11 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 12.11.2021
Nos siga no
Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta sexta-feira (12), marcada pela classificação do Brasil para a Copa do Mundo de 2022, pelo comunicado de Estados-membros do Conselho da Segurança da ONU acusando Belarus e pelo último dia da COP26.

Bolsonaro sanciona lei que remaneja R$ 9,3 bilhões do Bolsa Família para o Auxílio Brasil

Nesta quinta-feira (11), o presidente Jair Bolsonaro sancionou um ato remanejando R$ 9,3 bilhões do Bolsa Família para o Auxílio Brasil, o novo programa social do governo. O documento foi divulgado em edição extra do Diário Oficial da União. A proposta, enviada ao Congresso pelo governo no fim de outubro, foi aprovada pelos parlamentares na tarde de ontem (11) e seguiu para sanção do chefe do Executivo. O programa Bolsa Família existiu desde 2004 e foi extinto em 10 de novembro de 2020, substituído pelo Auxílio Brasil. Conforme informou o Ministério da Cidadania, responsável pelo novo programa social, os pagamentos do Auxílio Brasil começarão na próxima quarta-feira (17) e seguirão o calendário do Bolsa Família. O benefício terá um reajuste de 17,84% em relação aos valores do antigo programa.
© Folhapress / Luis Lima Jr /FotoarenaPrograma social Auxilio Brasil
Programa social Auxilio Brasil - Sputnik Brasil, 1920, 12.11.2021
Programa social Auxilio Brasil

Batendo Colômbia, Brasil garante vaga na Copa do Mundo do Catar de 2022

Na noite desta quinta-feira (11), a Seleção brasileira bateu a Colômbia por 1 a 0, garantindo a classificação do Brasil para a Copa do Mundo no Catar. O troféu será disputado em novembro do ano que vem. O jogo foi marcado por muita briga e poucas chances claras de gol. Lucas Paquetá marcou o único gol aos 26 minutos da segunda etapa na partida com a seleção colombiana na Arena Corinthians, em São Paulo. Com isso, a equipe do técnico Tite garantiu a vaga com 34 pontos. O Brasil é a quarta seleção confirmada no Catar, sendo líder absoluto das Eliminatórias Sul-Americanas. Além dos anfitriões, a Alemanha e a Dinamarca já estão classificadas para a Copa de 2022. A Seleção volta a jogar na próxima terça-feira (16), contra a Argentina.
© REUTERS / AMANDA PEROBELLIFãs brasileiros antes do jogo Brasil-Colômbia na Arena Corinthians, em São Paulo, 11 de novembro de 2021
Fãs brasileiros antes do jogo Brasil-Colômbia na Arena Corinthians, em São Paulo, 11 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 12.11.2021
Fãs brasileiros antes do jogo Brasil-Colômbia na Arena Corinthians, em São Paulo, 11 de novembro de 2021

Europa e EUA acusam Belarus de crise migratória no Conselho de Segurança da ONU

Quatro Estados-membros com assento no Conselho de Segurança das Nações Unidas – Estônia, França, Irlanda e Noruega, bem como o Reino Unido, EUA e Albânia, chamaram para uma resposta internacional forte às ações belarussas ante a crise migratória na fronteira com a União Europeia. Em um comunicado conjunto, apresentado após a reunião de emergência no Conselho de Segurança da ONU pelo embaixador estoniano, Sven Jurgenson, os países acusaram Belarus de causar a crise migratória para pressionar a União Europeia. "Essa tática é inaceitável e exige uma forte reação e cooperação internacional para responsabilizar Belarus. Ela demonstra como o regime do [presidente Aleksandr] Lukashenko se tornou uma ameaça para a estabilidade regional", diz o texto, criticando "a instrumentalização cínica dos migrantes". Minsk considera o comunicado dos membros do Conselho de Segurança uma ameaça direta ao país. Entretanto, ontem (11), o presidente da Polônia, Andrzej Duda, chegou à fronteira com Belarus, no epicentro da crise migratória, para incentivar a polícia de fronteiras polonesa.
© REUTERS / Polícia da PolôniaGuardas policiais poloneses na fronteira Polônia-Belarus perto de Kuznica, Polônia, 11 de novembro de 2021
Guardas policiais poloneses na fronteira Polônia-Belarus perto de Kuznica, Polônia, 11 de novembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 12.11.2021
Guardas policiais poloneses na fronteira Polônia-Belarus perto de Kuznica, Polônia, 11 de novembro de 2021

Cúpula do clima COP26 termina hoje

Hoje, sexta-feira (12) é o último dia das negociações das Nações Unidas sobre o clima, após duas semanas de debates que não conseguiram resolver vários pontos-chave nem produzir planos de redução das emissões, necessários para limitar o aquecimento global em 1,5 grau Célsius. "O mundo está nos observando", disse aos delegados o presidente da COP26, Alok Sharma, que decorre na cidade escocesa de Glasgow. Durante a cúpula, os líderes mundiais fizeram vários anúncios promissores, desde compromissos de reduzir as emissões de metano a um plano para salvar as florestas tropicais. Porém, o progresso foi travado nas negociações técnicas e a nível ministerial. Os textos dos projetos decisivos instam os países a acelerar seus planos de descarbonização e a apresentar novas contribuições até 2022, três anos mais cedo do que foi previsto. Eles também incluem uma menção rara aos combustíveis fósseis. Mesmo assim, o secretário-geral da ONU, António Guterres, disse na quinta-feira (11) que as promessas dos países sobre o clima eram "ocas", sem compromissos de eliminar rapidamente os combustíveis fósseis. Um dos anúncios principais da reunião foi a apresentação de um plano de ações conjunto sobre o clima revelado na quarta-feira (10) pela China e os Estados Unidos, dois dos maiores poluidores mundiais.
© REUTERS / YVES HERMANDelegada passa por inscrição "Todos por 1,5 grau Célsius" na COP26 em Glasgow, Escócia, 11 de novembro de 2021
Delegada passa por inscrição Todos por 1,5 grau Célsius na COP26 em Glasgow, Escócia, 11 de novembro de 2021  - Sputnik Brasil, 1920, 12.11.2021
Delegada passa por inscrição "Todos por 1,5 grau Célsius" na COP26 em Glasgow, Escócia, 11 de novembro de 2021

Julian Assange recebe permissão de se casar

O fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, detido em uma prisão britânica, recebeu na quinta-feira (11) a permissão de casar com sua noiva Stella Moris, segundo relatos da mídia. Na semana passada, Assange e Moris apresentaram uma ação contra o ministro da Justiça do Reino Unido, Dominic Raab, e a chefe da prisão de Belmarsh, onde Assange se encontra agora, por impedir seu casamento. De acordo com o The Guardian, a cerimônia será organizada na prisão. O tabloide The Sun relatou que o casamento pode acontecer em dezembro e será atendido por vários convidados, que também estão presos em Belmarsh. Assange e Moris estão juntos há cinco anos e têm dois filhos. Eles pediram assistência para a organização do casamento em maio, quando o delator já estava na cadeia, mas sem efeito. O fundador do WikiLeaks foi detido em Londres em 11 de abril de 2019. Assange é procurado pelos Estados Unidos por acusações de espionagem depois que o WikiLeaks publicou documentos classificados que lançam luz sobre os crimes de guerra cometidos pelas tropas americanas no Iraque e no Afeganistão.
© REUTERS / HENRY NICHOLLSManifestante durante protesto em apoio da liberação de Julian Assange em Londres, Reino Unido, 28 de outubro de 2021
Manifestante durante protesto em apoio da liberação de Julian Assange em Londres, Reino Unido, 28 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 12.11.2021
Manifestante durante protesto em apoio da liberação de Julian Assange em Londres, Reino Unido, 28 de outubro de 2021

Reino Unido concorda em pagar dívida ao Irã por quebra de contrato

O vice-chanceler iraniano, Ali Bagheri Kani, anunciou ontem (11) que o Irã e o Reino Unido chegaram a acordo sobre o pagamento da dívida a Teerã no valor total de US$ 535 milhões (R$ 2,88 bilhões) por quebra de um contrato de entrega de tanques em 1979. "A questão principal sobre o pagamento da dívida e seu valor está acordada, mas o método e processo de como o pagamento será feito ainda não foi resolvido", disse o diplomata iraniano, que está agora em viagem pela Europa, citado pela agência Bloobmerg. O Tribunal Internacional de Justiça da ONU determinou em 2012 que o Reino Unido deveria pagar uma indenização por ter rompido um contrato, assinado entre a empresa International Military Services e o Irã em 1974. Segundo o contrato, a empresa britânica deveria entregar ao Irã mais de 1.000 tanques, mas por causa da Revolução Iraniana de 1979 e chegada ao poder dos clérigos islâmicos, Londres se recusou a cumprir os termos do contrato. Até agora, Teerã não tinha conseguido receber a indenização. As autoridades britânicas afirmavam que não podiam pagar a dívida porque o Ministério da Defesa do Irã está sob sanções.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала